Christian não vê futebol. Só joga

Na tarde de quinta-feira, um grupo de repórteres chegou perto de Christian e perguntou se ele iria assistir ao amistoso entre Brasil e Islândia. A resposta foi imediata e surpreendente em se tratando de um jogador de futebol. "Não, tá louco?" Parecia apenas brincadeira, mas o artilheiro do Palmeiras no Torneio Rio-São Paulo, com 5 gols, não suporta ver jogos na televisão ou mesmo no estádio. Tem prazer apenas em jogar e fazer gols, sua missão diante do Americano, neste sábado, às 16 horas, em Campos. Quando está em casa com a tevê ligada e vê uma bola aparecendo na tela, Christian tem uma reação instantânea. "Mudo de canal ou vou fazer outra coisa". Ele prefere assistir a um filme ou a qualquer outro programa, mas futebol, nem pensar. Nas folgas, gosta de ler, vai pescar, ao shopping, ao cinema, visita a família, que reside em Porto Alegre, mas sempre passa longe de um estádio de futebol. Nem a Copa do Mundo o comove. No máximo, acompanha os jogos da seleção brasileira e, mesmo assim, sem muito entusiasmo. Ah, se o exigente técnico Vanderlei Luxemburgo soubesse o que Christian pensa quando ele põe no vídeo fitas com jogos de adversários. "Quando o professor pega os vídeos, ai... que chato." Luxemburgo, como muitos treinadores, têm o costume de mostrar jogos dos times rivais para poder analisar as principais jogadas com todo o grupo. Nesta sexta-feira, por exemplo, exibiu uma partida do Americano. "Apesar de não gostar, tenho de assisitr, se não o professor briga", brincou Christian. Se presta a atenção, já é outra história. O atacante gaúcho é a principal esperança de gols do Palmeiras contra o Americano. Afinal, é muito eficiente nas jogadas aéreas, o ponto mais fraco da defesa da equipe carioca, que soma apenas 5 pontos no Rio-São Paulo. Luxemburgo, porém, fez questão de lembrar que o Americano derrotou o Santos na semana passada, por 3 a 2, e que seu próprio time foi eliminado da Copa do Brasil pelo ASA, de Arapiraca. "O futebol é o único esporte em que pode haver zebra", alertou o técnico palmeirense. Segundo o treinador, o Palmeiras ficará muito perto da classificação com mais três vitórias. A equipe está na liderança da competição, com 19 pontos. Luxemburgo fez questão de dizer que está preocupado com a arbitragem. Ele teme que a pressão de Eduardo Viana, o ?Caixa d?Água?, presidente da Federação Carioca de Futebol e dirigente do Americano, surta efeito. "Ele estava no banco de reservas no último jogo do Americano, contra o América (pelo Campeonato Carioca), e, pelo que li nos jornais, o time foi beneficiado. Espero que ele não fique no banco contra o Palmeiras." O volante Claudecir, que ainda não conseguiu ter uma seqüência de jogos no clube, volta a ganhar chance no time do Palmeiras. Ele deverá jogar no meio-de-campo ao lado de Paulo Assunção. Galeano, que, aos poucos, vai perdendo espaço, ficará na reserva.

Agencia Estado,

08 Março 2002 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.