Christian: torcida contra até da família

No começo de carreira, Christian foi ídolo do Internacional. Em Porto Alegre, a torcida colorada o chamava de ?Jesus Christian?. Mas quando pisar no gramado do Beira-Rio, às 21h50, o atacante do São Paulo sabe que a recepção não será nada carinhosa. ?Agora, estou mais para Judas do que para Jesus Christian?, brinca o centroavante, que deve ser hostilizado até pela própria família. ?Meus pais e quase todos os meus familiares torcem para o Internacional?, conta. ?Espero pelo pior, mas nada me abala, só penso em jogar bem e fazer gols.? Nada porém, se compara ao que Christian sentiu quando trocou o Internacional pelo Grêmio, em 2003. ?Pegavam demais no meu pé?, diz. ?Sempre fiz o melhor pelas equipes que defendi, mas o torcedor não entende isso.? Além da oportunidade de voltar a atuar em Porto Alegre, o centroavante festeja seu bom momento no São Paulo: fez cinco gols nos últimos cinco jogos. Se voltar a marcar, iguala o recorde pessoal de 1999, quando defendia o próprio Internacional. ?Fico satisfeito pelo meu trabalho estar dando resultados?, comenta. ?Graças ao bom condicionamento físico, já consigo participar mais dos jogos.? CHANCES - Para o técnico Paulo Autuori, o poder ofensivo de Christian será importante para que o São Paulo conquiste os três pontos e mantenha as remotas chances de brigar pelo título. ?O Internacional é um dos times mais competitivos do campeonato, chega com muitos homens à frente e se movimenta bastante?, comenta o treinador, que escala o zagueiro Alex no lugar de Lugano, servindo à seleção uruguaia. No duelo de Porto Alegre, os paulistas tentam quebrar a série de três jogos sem vencer os gaúchos este ano: são duas derrotas e um empate. REEBOK - Além do São Paulo, para quem fornecerá os uniformes a partir de janeiro, a empresa anglo-americana também fabrica o material esportivo do Liverpool, da Inglaterra, maior rival do time do Morumbi no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão. O Sidney FC, da Austrália, que também vai ao Mundial, é outro time que tem acordo com a Reebok. O contrato com o São Paulo vale por três anos, no valor total de R$ 21 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.