Marcio Fernandes/Estadão
Marcio Fernandes/Estadão

Serginho lamenta o veto a Oswaldo e diz que não aceitaria 'pilantra'

Auxiliar técnico do Santos era favorável ao retorno do treinador 

Estadão Conteúdo

20 de junho de 2015 | 20h13

Polêmico como sempre, Serginho Chulapa não se esquivou das perguntas sobre a possível mudança de comando técnico no Santos. O auxiliar comandou a equipe no clássico deste sábado contra o Corinthians, na Vila Belmiro, porque o treinador Marcelo Fernandes, que balança no cargo, estava suspenso.

Serginho Chupala disse que ficou "feliz" ao tomar conhecimento do possível retorno de Oswaldo de Oliveira, recém-demitido do Palmeiras. Mas disse que se a diretoria contratasse algum treinador que ele não gostasse, voltaria a ser apenas observador do clube e não mais auxiliar.

"Se o Oswaldo viesse, ele seria bem recebido. Gostamos dele. Fiquei tranquilo quando acertaram com ele. Mas se viesse outro pilantra, voltaria para o meu cargo tranquilo", disse Serginho Chupala depois da vitória no clássico. "Tem muita falta de ética na profissão. Vagabundos que não sabem de nada. Que trazem pai, filho, avó para comissão técnica. Eu daria força para o Oswaldo. Mas não um aventureiro que viesse para encher o saco", explicou o auxiliar.

Oswaldo de Oliveira chegou a acertar o retorno ao Santos com o presidente Modesto Roma Júnior. Mas o Comitê Gestor do clube vetou a contratação do novo técnico. O mandatário santista, então, decidiu manter Marcelo Fernandes no cargo, com Serginho Chulapa como auxiliar.

A vitória no clássico deste sábado alivia a pressão na atual comissão técnica porque o Santos, ao menos, saiu da zona de rebaixamento do Brasileirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.