Felipe Oliveira/Agif
Felipe Oliveira/Agif

Cícero não faz falta e Santos bate o Bahia fora de casa no Brasileirão

Confusão com torcedores por lotação nas arquibancadas não atrapalha o time da Vila Belmiro

Gonçalo Junior, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2014 | 23h05

SÃO PAULO - A vitória sobre o Bahia por 2 a 0 em Feira de Santana mostrou que o Santos já está aprendendo a viver sem Cícero, que vinha sendo seu principal jogador e foi para o Fluminense. Com um bom segundo tempo, o time supera a sequência de três jogos sem vitória e Oswaldo de Oliveira ganha fôlego diante dos questionamentos da diretoria.

O técnico abriu mão da experiência de Renato para marcar e armar e preferiu escalar três garotos no ataque: Jorge Eduardo, Gabriel e Jorge Eduardo. A intenção era não mexer muito nas características do time. Não deu certo.

Os atacantes não voltavam para ajudar na marcação ou se aproximar dos meias e, com isso o Santos não conseguia criar as jogadas. Preferia os balões, fazendo uma ligação direta entre a defesa e o ataque, mas a bola batia e voltava. Lucas Lima não dava conta do recado.

O jogo do Bahia era mais eficiente, buscando sempre os lados do campo, principalmente a direita. As finalizações, no entanto, não eram corretas. Anderson Talisca, o líder de chutes no Brasileirão, não acertou o alvo. Só chegou perto uma vez.

Foram necessários 45 minutos - e um choque de realidade de Oswaldo no intervalo - para que o Santos se reencontrasse. Além de adiantar Arouca e recuar Jorge Eduardo, o Santos passou a errar menos passes. Tudo isso foi fundamental para que o time marcasse aos 16. Após cruzamento de Zé Carlos, Alan Santos cabeceou de olhos abertos e colocou na rede.

Com um segundo tempo totalmente diferente, o Santos conseguiu fazer a bola rolar - na medida do possível, já que o gramado do estádio Joia da Princesa é muito ruim. O time não se aproximou das atuações empolgantes do Paulistão, mas Arouca e Lucas Lima conseguiram fazer a equipe jogar.

O Bahia recorreu às alterações para tentar atacar com mais eficiência, mas não deu em nada. Erick, por exemplo, entrou no lugar de Henrique, e saiu meia hora depois por não ter feito nada.

O jogo bem construído do Santos foi exemplificado pelo segundo gol. Bola de Arouca para Giva e belo passe para Lucas Lima marcar com um belo chute colocado.

CONFUSÃO NA ARQUIBANCADA

O jogo teve momentos de tensão no primeiro tempo, mas fora de campo. Houve superlotação em um dos setores do estádio e algumas pessoas ficaram espremidas contra o alambrado. Crianças se assustaram com a confusão e algumas foram passadas por cima da grade para escapar da confusão. Não houve feridos graves.

Com o jogo já em andamento ainda havia grandes filas fora do estádio, e um grupo de torcedores arrombou um portão para entrar mais rapidamente. Muita gente entrou por ali, o que provocou a superlotação de um setor. Para resolver a situação, a Polícia Militar reduziu o espaço reservado para a torcida do Santos - que estava presente em pequeno número - e deslocou para lá pessoas que estavam na área em que havia mais gente.

Em Santos, o presidente Odílio Rodrigues deu uma coletiva à tarde para falar sobre a saída de Cícero para o Fluminense. "Ele teve um aumento em setembro, e no fim do ano passado começou a pedir outro. Achava que era craque e merecia ser valorizado, e o clube achava que ele tinha de cumprir o contrato. O Santos tem 102 anos de história e tem de ser respeitado, Que ele seja feliz em outro clube."

FICHA TÉCNICA

BAHIA 0 x 2 SANTOS

BAHIA - Marcelo Lomba; Roniery, Demerson, Titi e Guilherme Santos; Fahel, Pittoni (Rafinha) e Talisca; Willian Barbio, Henrique (Erick)(Jean) e Maxi Biancucchi. Técnico: Marquinhos Santos.

SANTOS - Aranha; Cicinho, Neto (Bruno Uvini), Jubal e Zé Carlos; Alan Santos (Renatinho), Arouca e Lucas Lima; Diego Cardoso, Jorge Eduardo e Gabriel (Giva). Técnico: Oswaldo de Oliveira.

GOLS - Alan Santos, aos 16, e Lucas Lima, aos 43 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Titi, Henrique, Guilherme Santos (Bahia) Cicinho, Alan Santos (Santos).

ÁRBITRO - Wagner Reway (MT).

RENDA - Não divulgada.

PÚBLICO - 16.842 pagantes.

LOCAL - Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana (BA).

Tudo o que sabemos sobre:
BrasileirãofutebolBahiaSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.