Cícero vê evolução no São Paulo, mas pede paciência

A vitória por 3 a 0 diante do Ceará, na última quarta-feira, pela Copa Sul-Americana, mostrou duas faces do São Paulo. No primeiro tempo, a equipe não foi bem, jogou um futebol sonolento e pouco ameaçou o gol adversário. No segundo, no entanto, o time foi para cima, criou diversas oportunidades, e chegou aos três gols. Para o meia Cícero, a tendência é que a atuação da segunda etapa seja repetida cada vez mais.

AE, Agência Estado

25 de agosto de 2011 | 13h37

"A gente sabe da qualidade do time, é um grupo qualificado. Sabíamos que estávamos devendo uma atuação dessa ao torcedor, não vínhamos com bons resultados em casa. Chegaram novos jogadores e devagar o grupo vai encaixando cada vez mais e deve mostrar o mesmo futebol de ontem (quarta-feira)", declarou Cícero, nesta quinta-feira, em entrevista à TV Globo.

Um dos responsáveis pela mudança na equipe foi o próprio Cícero, que entrou no lugar de Fernandinho, lesionado, no final do primeiro tempo. Atuando mais à frente, quase como atacante, o meia se destacou e marcou o primeiro gol da vitória sobre o Ceará.

Perguntado sobre a função na qual gosta mais de atuar, o jogador demonstrou preferência pelo ataque. "Às vezes, fico no meio termo entre o ataque e o meio-de-campo, mas quando atuei mais para frente fiz três gols, dei assistência e consegui ajudar o São Paulo", afirmou Cícero.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.