Cicinho conversa com o Manchester

O lateral-direito Cicinho, do São Paulo, segue a moda dos jogadores brasileiros: garante que, por enquanto, não pensa em jogar fora do Brasil, mas já prepara o ambiente para uma futura transferência. "Quero jogar na Itália. É o meu sonho desde quando era garoto", afirmou Cicinho ao jornal italiano La Gazzetta Dello Sport, em entrevista publicada hoje. "Gostaria muito de jogar no Milan, que é a equipe mais forte do futebol europeu e tem o Cafu, meu ídolo."O lateral não perdeu tempo: aproveitou a viagem à Europa e também esteve em Manchester, na Inglaterra, acompanhado de Juliano Leonel, um de seus procuradores. Na pauta, conversas com dirigentes do Manchester United. A "visita" aos ingleses pegou a diretoria do São Paulo de surpresa, especialmente o diretor de futebol, Juvenal Juvêncio. A diretoria espera que o jogador cumpra o prometido e se apresente amanhã ao clube.Na Itália, Cicinho esteve em Ancona, onde assinou a documentação para conseguir o passaporte italiano - o que facilitará uma futura negociação. Fez compras em um shopping, deu autógrafos para alguns torcedores e disse estar "honrado" pelo possível interesse do Milan na sua contratação. "É uma honra ser considerado herdeiro do Cafu. Seria extraordinário ficar no lugar dele, mas por que não podemos jogar juntos?", questionou, polidamente.Na semana passada, a imprensa italiana divulgou que Cafu teria indicado Cicinho aos dirigentes italianos. O brasileiro garante que não pretende deixar o São Paulo antes do Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro, no Japão. Porém, o presidente Marcelo Portugal Gouvêa já manifestou o temor de perder jogadores para o futebol europeu até o fim do mês.Cicinho chamou a atenção depois das boas exibições na Taça Libertadores e na Copa das Confederações, na Alemanha. Seu contrato com o São Paulo vai até 2008 e há multa rescisória de US$ 12 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.