Cicinho deve trocar a Ponte Preta pelo Fluminense

O Fluminense deve ser a casa de Cicinho no ano que vem. Um dos destaques do Campeonato Brasileiro, ele dificilmente permanecerá na Ponte Preta, tanto que suas últimas entrevistas estão sendo em tom de despedida. O presidente do clube carioca, Peter Siemsen, disse após o título no último domingo de que o lateral-direito era uma das prioridades e que as conversas estavam bastante adiantadas.

AE, Agência Estado

13 de novembro de 2012 | 19h44

Apesar de garantir que está focado no Brasileirão, Cicinho não escondeu a felicidade com a possibilidade de defender o Fluminense. Seu contrato com a Ponte vai até 2015 e o clube carioca deve desembolsar R$ 3,5 milhões, valor da multa rescisória.

"Falei com meu empresário e ele também estava sabendo (interesse do Fluminense). Deixei ele para resolver tudo isso. Fiquei muito feliz e ficaria contente em defender o Fluminense, mas agora meu foco está exclusivamente em ajudar a Ponte", revelou Cicinho, que descartou ter sido procurado por pessoas ligadas ao Palmeiras. São Paulo, Botafogo e Cruzeiro também estariam interessados em seu futebol.

Assim, a partida contra o Bahia, no próximo domingo, no Pituaçu, pela 36.ª rodada do Brasileirão, deve ser uma das últimas de Cicinho com a camisa da Ponte Preta. Com a volta do atacante Luan, que cumpriu suspensão automática, o técnico Guto Ferreira terá todos os jogadores à sua disposição.

Na noite da última segunda-feira, o Conselho Deliberativo da Ponte aprovou o orçamento para a próxima temporada. A previsão orçamentária é de que R$ 39,7 milhões sejam gastos em 2013, sendo R$ 26 milhões destinados ao departamento profissional. O valor é praticamente o dobro do que o clube gastou neste ano - R$ 19,5 milhões. A expectativa é de que a Ponte receba em torno de R$ 26 milhões da televisão por transmissões no Brasileiro e mais R$ 2 milhões pelo Paulistão. O restante virá de outras promoções do departamento de marketing, como receitas com patrocínio de camisas e vendas de produtos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.