Cicinho diz que não se sente confiante após voltar de lesão

O lateral brasileiro Cicinho, do Real Madrid, disse nesta quinta-feira que espera voltar a ser relacionado para a partida do fim de semana contra o Celta de Vigo, pelo Campeonato Espanhol, seis meses após sofrer uma grave lesão no joelho, mas admitiu que tem "medo" e ainda não têm total confiança diante de contusões. Recuperado da lesão, o lateral deverá voltar a ser relacionado pelo técnico Fabio Capello, com quem conversou e confessou que ainda não tem confiança total no joelho. "Falei com Capello quase todos os dias, porque ainda tenho um pouco de medo, mas sabemos que a lesão será curada com o tempo. Ele me disse que voltarei a jogar como antes, e que tenho condições de ajudar o Real Madrid", afirmou. "Não tenho medo de nada além do joelho. Não sinto dores. No momento da lesão, só senti durante cinco minutos, mas depois elas não voltaram", acrescentou. Cicinho passou o período de recuperação no Brasil, com a família, preferindo distanciar-se do Real Madrid para se concentrar no tratamento. "Conversando com minha família, entendemos que era melhor deixar de lado o futebol e me concentrar nos treinamentos e no tratamento. Não assisti aos jogos, mas soube das polêmicas com Beckham e Ronaldo", admitiu. O jogador mostrou-se feliz com a recuperação e afirmou que quer jogar alguns minutos. "Estou muito tranqüilo e feliz, porque tenho certeza de que voltarei melhor do que antes", disse o lateral.Troca por Daniel AlvesCicinho também disse nesta quinta que aceitaria entrar em uma transação entre Real Madrid e Sevilla por uma troca pelo compatriota Daniel Alves. Embora o primeiro desejo do ex-jogador do São Paulo, que chegou ao Real Madrid em janeiro do ano passado, fosse ganhar espaço no clube, ele não veria com maus olhos uma ida ao Sevilla como contrapeso na transferência de Alves. "Se for uma coisa boa para o Real Madrid e para mim, sem problema", assegurou. Cicinho revelou que recebeu ofertas para sair do clube logo após a chegada do técnico Fabio Capello, que não gostava do jogador por suas qualidades ofensivas. "Soube do interesse pelos jornais, mas ninguém entrou em contato comigo", disse o brasileiro, que acrescentou: "Houve o interesse de Roma, Liverpool e West Ham, mas não veio nada do Sevilla. O diretor esportivo do clube me disse que estava feliz com minha forma de jogar aqui."O lateral-direito explicou que sua primeira opção é "triunfar no Real Madrid", e que inclusive poderia jogar junto com Alves. Por isso, viu com bons olhos o interesse pelo jogador. "Não me incomodo que queiram contratá-lo, fico feliz porque sou brasileiro e é uma possibilidade que venha outro jogador de meu país à melhor equipe do mundo, que é o Real Madrid. Por mim, não haverá problema se ele vier. Ele tentará jogar como eu faço e aumentará a concorrência com Michel e Torres", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.