Cicinho é a atração do misto do São Paulo contra Ituano

A presença de Cicinho desde o início será o principal atrativo do jogo contra o Ituano, neste sábado, às 16h, no Novelli Júnior. O lateral-direito, no entanto, não deve ficar os 90 minutos em campo. "O Cicinho já está com um avanço em relação aos outros jogadores porque está em meio de temporada. Vai começar jogando", confirmou Ricardo Gomes. "Não jogará o jogo todo, mas pelo menos uma hora ele vai atuar. Já está de bom tamanho".

MARCIUS AZEVEDO, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2010 | 08h23

Cicinho concorda com o técnico. "Posso não ter condições de jogar o tempo todo em um nível mais alto. Mas posso jogar com experiência, me poupando".

O lateral afirmou que, apesar de ter jogado pouco pela Roma nos últimos meses, estava treinando normalmente. "Eu não estava parado. Treinava e participava de alguns jogos, então estava no ritmo", justificou.

A verdade é que o jogo em Itu deveria ser o de reestreia pelo São Paulo. A diretoria, porém, forçou para que Cicinho estivesse em campo contra o Monterrey, quarta-feira, pela Libertadores, para conseguir um público maior na estreia.

Ricardo Gomes não queria utilizar o jogador depois de ele ficar 12 horas dentro de um avião na viagem de volta ao Brasil, mas o levou para o banco de reservas e, aos 30 minutos do segundo tempo, o colocou em campo.

No dia jogo, quando o movimento normalmente não costuma ser tão grande, quase 15 mil ingressos foram vendidos e o público pagante foi de 35.523 pessoas, que não cansaram de gritar o nome de Cicinho.

"Não foi para impressionar ninguém. Tinha condições, então fui para o jogo", minimizou o lateral. "O torcedor sabe o que posso fazer, então vou fazer o meu máximo para não decepcionar ninguém. Cheguei como contratação de peso, então tenho de fazer valer por isso".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.