Cicinho está temeroso com ida à Europa

Cicinho está preocupado com a possibilidade de não ter um lugar no milionário elenco do Real Madrid no início de janeiro. Não que tenha medo de a negociação não se concretizar, mas há a possibilidade de ser emprestado para algum outro time. Principalmente agora que Vanderlei Luxemburgo, que o indicou, já é ex-treinador do Real. A questão do empréstimo o preocupa, principalmente por causa da seleção brasileira. ?Este é um momento em que eu não posso errar. As últimas vagas vão estar se definindo e qualquer erro pode ser fatal. Não quero ir para um time ruim, que não luta por nada. Aí, eu desapareço. Se ficar quatro ou cinco jogos fora, é difícil eu ir para a Copa?. Ele prefere ser emprestado para um time forte. ?Tem de estar brigando por campeonato. Eu não posso ter o luxo de pedir um tempo de adaptação. Preciso chegar arrebentando, brigando para ser titular. Não tem outro jeito para mim?. Aí, aumentam as chances de o São Paulo contar novamente com seu ala. ?Prefiro ficar no São Paulo, onde todo mundo me conhece. Estou jogando bem, mas ainda acho que vou ficar mesmo no Real Madrid?. Cicinho tem certeza de que o negócio vai sair. Ou melhor, que já saiu. ?Isso não tem erro. Eles deixaram claro que vão confirmar a opção de compra e só estão na dúvida se vou para lá em janeiro ou seis meses depois. Mais nada?. Para o ala, o sorteio das chaves do Mundial foi uma grande curtição. ?Assisti na televisão à tarde, na reprise. Vibrei muito quando as bolinhas iam saindo com adversários bom para nós e vibrei um pouco também quando dava azar para a Argentina?. Ele acredita nas boas possibilidades de classificação do Brasil. ?Para mim, o adversário mais duro vai ser o Japão. O Zico é um bom técnico e conhece tudo do nosso time. Na Copa das Confederações, ele já deu uma boa mostra de como pode complicar as coisas. A Croácia também é forte, mas o Japão pode complicar. A Austrália é mais fraca?.

Agencia Estado,

10 de dezembro de 2005 | 11h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.