Cicinho não aceita favoritismo inglês

O lateral Cicinho não tem gostado nada do ar de favoritismo que o Liverpool tem ganho nas vésperas da decisão do Mundial de Clubes da Fifa. Ele sente que se criou uma quase certeza de que o São Paulo não conseguirá vencer a partida. E diz não entender o motivo. ?Todo mundo, em todo lugar, só fala no Liverpool. Colocaram os caras como favoritos, mas só que tem uma coisa, quem vai ganhar é o São Paulo. É nossa obrigação. Nós somos um time brasileiro, queremos ser campeões do mundo. Nossa torcida quer isso, coloca pressão em cima da gente e vamos responder. Quando eles perderem, vão se decepcionar bastante?, diz, com a confiança de sempre. Um exemplo do que Cicinho considera um exagero é a descrição que se faz do segundo gol do Liverpool contra o Deportivo Saprissa. Um passe de Riise, desde a esquerda para Gerrard, na direita, que chutou de primeira. ?O gol foi lindo, não tem discussão, mas chegaram a dizer que foi uma jogada magistral. Ora, foi um passe óbvio, não tinha outra coisa a fazer com aquela defesa aberta. Mas, é bom que falem. O São Paulo não era favorito e ganhou do Real Madrid e do Barcelona. Agora, vamos ganhar do Liverpool também?. Para vencer, Cicinho aposta na tática de Davi contra Golias. ?Eles são grandes e nós somos pequenos. Mas, ninguém tem medo de tamanho. Vamos jogar para cima deles, com habilidade e toques rápidos. Não dá para ficar atrás. Eu vou atacar como sempre faço. O importante é ter personalidade e doação. Um reserva do Saprissa, baixinho, entrou no segundo tempo e ganhou umas bolas de cabeça. Eu posso fazer isso também. Não vai faltar raça para nós?. A grande aposta do lateral é na qualidade do time, na jogada individual e a grande dificuldade é o estilo de jogo do Liverpool. ?Eles jogam com duas linhas de quatro jogadores. Isso atrapalha um pouco o trabalho dos alas. Nós tivemos dificuldades com o Al Ittihad e com o Once Caldas no ano passado. Esse é o ponto que a gente tem de superar. Saindo daí, dá para ganhar, sim?. Esse é o sonho que Cicinho acalenta no momento. ?Dormindo, não sonhei, não. Mas, sonho acordado todo dia com esse título. Tem de ser nosso. Vai ser nosso?. O jogador tem conversado bastante, via internet, com Juliano Leonel, seu sócio e procurador. Pergunta sobre o Real Madrid e recebe a resposta de que deve pensar só no Liverpool. ?Pode ser minha última partida, não sei. Posso ficar mais tempo. Se sair, vou sentir saudades. Se o São Paulo quiser, já assino um pré-contrato para voltar em alguns anos?.

Agencia Estado,

16 de dezembro de 2005 | 15h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.