Cicinho volta e diz que não vai sair

Cicinho está escalado para o jogo desta quarta-feira contra o Fluminense. Ele garante haver esquecido o Manchester United e estar com o pensamento apenas no São Paulo. E promete: "em três rodadas, estaremos fora dessa situação de rebaixamento". Após o jogo de quarta, o São Paulo pega o Paraná, em Curitiba, no domingo, e enfrenta o Internacional, na outra quarta, no Morumbi, pela Sul-Americana. O lateral, que cumpriu a suspensão por haver sido expulso contra o Juventude, diz que foi procurado por Paulo Autuori para saber sobre a possibilidade de escalá-lo. "Falei para ele que só penso em ajudar o São Paulo e que esqueci do Manchester. Quem cuida disso são os procuradores. Eu quero é jogar e ajudar o São Paulo, como sempre". Cicinho reafirmou que tem proposta do Manchester, apesar do desmentido do presidente Marcelo Portugal Gouvêa, que garante não haver sido procurado. "Nós temos oferta, sim. Fomos procurados pelos representantes do Manchester e eles vão procurar o São Paulo. É só esperar". Ele luta para buscar o passaporte italiano, o que facilitaria sua saída. O Manchester teria lhe dado um prazo até o final do ano para que Cicinho consiga a cidadania comunitária. O jogador sairia após o Mundial Interclubes, em dezembro. O treinamento tático desta segunda demonstrou que o São Paulo deve optar pelo 4-4-2 contra o Fluminense, com Cicinho e Júnior nas laterais, Lugano e Edcarlos na zaga (Fabão está contundido); além de Richarlyson e Mineiro como volantes. Souza e Leandro Bonfim treinaram como armadores, mas um deles perderá o lugar para Danilo, que foi poupado. Leandro Bonfim deve começar a partida. Ele não se mostra assustado com a situação atual do São Paulo, que disputa o Mundial em dezembro, mas que corre o risco de ser rebaixado no Brasileiro."O São Paulo é um grande time e vai sair dessa posição. Não sei falar quando, não fiz contas, mas vamos lutar muito a cada jogo. Com toda a dedicação, a gente vai começar a vencer". Para ele, não há diferença em jogar pelo Mundial ou para não cair. "O que importa é que estou no São Paulo, um grande clube do futebol brasileiro. Vou jogar com a mesma disposição em todas as partidas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.