JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Cidade de São Paulo se oferece para receber a final da Libertadores

Prefeitura se coloca à disposição da Conmebol para sediar o jogo entre River Plate e Boca Juniors

O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2018 | 23h29
Atualizado 28 de novembro de 2018 | 21h33

A cidade de São Paulo se colocou à disposição da Conmebol para receber a partida final da Copa Libertadores, entre River Plate e Boca Juniors. Fez isso por via indireta. Na noite desta terça-feira, o secretário de Esportes e Lazer do município, João Farias, enviou uma correspondência para o secretário geral da CBF, Walter Feldman, oferecendo a cidade para a realização do jogo. Nesta quarta-feira, o prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer e do Secretário, João Farias, informou que o Pacaembu está de portas abertas para receber a partida. Em seguida, a diretoria do São Paulo também ofereceu o Morumbi.

Na correspondência enviada a Feldman, o secretário diz que a cidade conta com infraestrutura para realizar grandes eventos e tem condições de garantir a segurança de jogadores e torcedores dos dois clubes.

São Paulo é a segunda cidade brasileira a se oferecer para sediar a partida. No final da manhã desta terça-feira, os gestores do Mineirão, em Belo Horizonte, fizeram chegar à Conmebol a informação de que abririam o estádio para o jogo, sem cobrar despesas de River e Boca nem da Conmebol.

No entanto, a entidade, que decidiu que a final ocorrerá no dia 8 ou 9 de dezembro, se mostra inclinada a levar o jogo para Doha, no Catar, o Abu Dabi, nos Emirados Árabes. Adu Dabi é favorita, de acordo com alguns dirigentes sul-americanos, pelo fato de que lá, a partir do dia 12, será disputado o Mundial de Clubes, com a presença do campeão da Libertadores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.