Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Cinco motivos que causam preocupação caso Guerrero não fique

Atacante peruano tem contrato apenas até o meio do ano com o Corinthians e ainda não acertou sua renovação com a diretoria

O Estado de S. Paulo

13 de fevereiro de 2015 | 13h23

 O atacante Guerrero ainda não acertou sua permanência no Corinthians. O jogador negocia a renovação do contrato que se encerra no meio do ano e trava uma verdadeira batalha com a direção do clube por causa da alta pedida. Exigindo luvas de R$ 1,8 milhão e um salário acima dos R$ 500 mil, o jogador ainda é o grande ídolo da torcida, que exige todo esforço do clube para garantir sua manutenção.

1. Grande artilheiro do time

Desde a saída de Carlitos Tevez e a aposentadoria de Ronaldo que o Corinthians não tem um jogador que faça tantos gols como Guerrero. Ele já marcou 45 gols pelo clube e é a grande referência ofensiva do grupo, que não conta com outro centroavante da sua qualidade.

2. Rei do Itaquerão

Nenhum jogador do elenco é tão efetivo como Guerrero jogando na nova casa corintiana. O peruano é o homem-gol do Itaquerão, onde já balançou as redes adversárias em nove dos 22 jogos do time no local. E ele costuma se destacar contra os grandes, sendo decisivo diante de Palmeiras, São Paulo, Santos, Grêmio, Inter e Atlético-MG.

3. Pouca economia

Apesar de exigir R$ 1,8 milhão de luvas e um salário em torno de R$ 620 mil mensais, a saída de Guerrero não reduziria muito a folha salarial do Corinthians, já que há no elenco diversos outros jogadores com salários semelhantes ou próximos de sua pedida. Uma reposição no mesmo nível também não seria barata.

4. Técnico em apuros

Caso Guerrero não fique, Tite teria muito de sua preparação prejudicada. O treinador trabalhou toda a pré-temporada armando esquema para o centroavante brilhar. Foram dias e mais dias dando entrosamento para uma equipe rápida e com um homem de referência na frente, pronto para ter só o trabalho de concluir as jogadas em gols.

5. Pressão em Vagner Love

Contratado recentemente, Vagner Love ainda se aprimora para entrar no time. Acostumado a jogar aberto e a anotar gols, ele sofreria enorme pressão caso tivesse de substituir o ídolo da torcida. Teria , no mínimo, de fazer tantos gols quando o peruano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.