Cinco razões sobre a volta de Ronaldinho Gaúcho ao Fluminense

Meia, que estava no México, estreia neste sábado contra o Grêmio

O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2015 | 15h09

O futebol brasileiro terá neste sábado um novo protagonista, capaz de ajudar seu time até o fim do ano e levar o torcedor para o estádio. Está é a expectiativa no clube. Ronaldinho Gaúcho está confirmado no Fluminense que recebe o Grêmio neste sábado no Maracanã. Depois de passagem vitóriosa no Atlético-MG e uma temporada entre altos e baixos, e alguns sumiços, no México, o meia, que já foi melhor do mundo defendendo o Barcelona, volta ao Rio para alegrar a competição, fortalecer o time e se divertir. O Estado publica cinco motivos sobre a volta do craque.

1.

Em Minas, sob a batuta do presidente Alexandre Kalil, Ronaldinho comeu miúdo. Teve de entrar na linha e jogar futebol. Houve um ruído no começo da parceria, mas depois o jogador comprou a ideia da Libertadores e do grupo e ajudou o quanto pôde, sem, claro, perder suas regalias e o jeito de viver. Nas Laranjeiras, todos esperam o mesmo comprometimento.

2

Em campo, Ronaldinho ainda é gracioso. Faz coisas que jogador comum não pensa sequer em fazer. Mantém a inteligência e consegue antever jogadas. Não é nem de longe o craque que foi nos tempos de Barcelona. Nem nunca mais será. Alguma coisa se perdeu no meio do caminho. Mas é inegável que Ronaldinho mais ajuda do que atrapalha, mesmo também não correndo como menino.

3

O segredo para o Fluminense é fazer Ronaldinho se sentir importante para o elenco. Tem de comprar a ideia do time e seus objetivos, que é o Campeonato Brasileiro. Ronaldinho não precisa sequer jogar todas as partidas. O técnico Enderson Moreira terá de arrumar uma forma de usar o que o meia tem de melhor sem desgastá-lo.

4

Com Ronaldinho, o Flu volta a ser um time badalado, em todos os sentidos. Ele gosta das farras e do bom samba. Vai se dar muito bem no Rio, com toda sua agitação e opções de diversão na noite. É claro que toda essa atmosfera chega com ele nas Laranjeiras, nos amigos e no elenco. Isso dará trabalho à comissão técnica. Alguém terá  de assumir a missão de colocar Ronaldinho na linha, ou trazê-lo para o mais próximo dela.

5

Fred terá papel fundamental no sucesso do amigo. O atacante é o 'presidente' do Fluminense no vestiário. Terá agora a companhia de um jogador tão ou até mais experiente do que ele, com quem vai dividir o comando do elenco. Tirando todo o marketing embutido em sua chegada, o time terá também um cobrador de faltas de primeira.

    

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.