Cinco razões para os quatro gols de Neymar contra o Japão

Atacante da seleção brasileira marca todos os gol do time de Dunga em amistoso desta terça-feira em Cingapura, e chega a 40

O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2014 | 10h40

O Brasil goleou o Japão por 4 a 0 nesta terça-feira, em amistoso em Cingapura, terminando a sequência de dois compromissos neste reencontro dos jogadores de Dunga. Antes desta partida, a seleção ganhou da Argentina por 2 a 0, com dois gols de Diego Tardelli, na decisão do Superclássico das América, em confronto na China. Desta vez, quem brilhou em campo foi Neymar, autor dos quatro jogos do time nacional.

Fazia tempo que um jogador brasileiro não marcava quatro vezes numa mesma partida. A última vez ocorreu em 2000, com Romário balançando as redes quatro vezes na vitória da seleção por 6 a 0 sobre a Venezuela, na cidade de Maracaibo. Foi a única partida comandada pelo técnico Candinho, que era auxiliar de Luxemburgo.

Dessa forma, Neymar chega a 40 gols com a camisa da seleção brasileira, colocando-se entre os principais artilheiros da história do Brasil. Vale lembrar que o atacante do Barcelona tem apenas 22 anos e, portanto, se nada acontecer em sua carreira, muito mais partidas pela seleção. Neymar é o principal jogador da seleção. "Estou arrepiado, é uma emoção muito grande", disse Neymar. Conheça cinco motivos que poderiam explicar os quatro gols do jogador nesta partida contra os japoneses.

1. Atuou mais próximo do gol 
Contra o Japão, Neymar 'trocou' de posição com Tardelli, e praticamente se transformou no jogador mais próximo do gol adversário. Tanto foi assim que no primeiro gol do jogador do Barcelona, quem deu o passe para ele sair na cara do goleiro foi o próprio Tardelli, fazendo a vez de armador. 

2. Jogou livre, sem apanhar tanto
Diferentemente do que ocorreu na partida contra a Argentina, em que Neymar sofreu mais de dez faltas, diante dos japoneses, o atacante pôde atuar em pé, sem apanhar. Esse tipo de liberdade é ótima para jogadores habilidosos, que dominam a bola e têm tempo para pensar nas jogadas. Foi o que Neymar fez. 

3. Ele foi beneficiado pela movimentação do time
 Solto e correndo por todos os setores do campo, Neymar também se beneficiou da boa movimentação de seus companheiros, como Tardelli, Oscar e Willian no primeiro tempo, e depois, sobretudo, de Kaká e Robinho. É fácil jogar quando se tem companheiros inteligentes e ágeis ao seu lado. 

4. Faro de gol e vontade de jogar
 Tem partidas que Neymar aparece mais, está mais feliz e disposto. É assim com todos os jogadores, mesmo sabendo que eles precisam entrar em campo sempre motivados. Logo nos primeiros minutos do jogo com o Japão, já deu para perceber um Neymar ligado. Como ele não fez nenhum contra a Argentina, talvez quisesse deixar o seu diante dos japoneses. 

5. A fragilidade do Japão
O time do Japão, em reformulação e fraco, contribuiu muito para os quatro gols de Neymar. A marcação, embora constante, era frágil, fácil e inocente. O Brasil se valeu de 'chamar' o adversário para seu campo e sair em disparada e com qualidade para os contra-ataques. O Japão, de forma alguma, foi um rival que incomodou o Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.