Albert Gea/Reuters
Albert Gea/Reuters

Cineasta, goleiro da Islândia revela que estudou pênaltis de Messi

Eleito o melhor da partida, Halldorsson vive dia especial

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

16 Junho 2018 | 14h54

O goleiro Hannes Halldorsson foi o melhor jogador do empate entre Argentina e Islândia por 1 a 1, neste sábado, em escolha feita pela Fifa. Ele defendeu um pênalti de Lionel Messi no segundo tempo e mostrou seguranças em vários momentos. Depois da estreia na Copa do Mundo, em Moscou, afirmou que a defesa não aconteceu apenas pelo fato de ter "acertado o canto da batida"; ele estudou as cobranças do craque argentino.

+ Saiba mais sobre a taça da Copa

+ Raio-x das 32 seleções que estão no Mundial 2018

+ Veja a histórias das principais estrelas do Mundial

"Eu fiz a lição de casa. Eu assisti várias penalidades cobradas por Messi, consegui entrar em sua mente e adivinhar o que ele ia fazer", disse o goleiro islandês.

A grande defesa de Halldorsson aconteceu na metade do segundo tempo. Ele ficou parado, esperando a definição de Messi. Deu três pequenos passos e fez a defesa no canto direito. "Foi um grande momento. Foi um grande dia estar frente a frente com o melhor jogador do mundo e conseguir defender o pênalti. Foi como um sonho que virou realidade", disse o jogador de 34 anos.

Para ele, o lance foi importante no grande objetivo da Islândia: passar pela fase de grupos. "Foi um lance que nos deu um ponto muito importante para que possamos conseguir nosso objetivo, que é passar pela fase de grupos", afirmou, cercado de jornalistas do mundo todo, no Spartak Stadium.

A exemplo dos outros jogadores da Islândia, Halldorsson teve uma carreira paralela ao futebol - ele é cineasta. Por muito tempo, dividiu a carreira de jogador com a direção de filmes e comerciais. Neste Mundial, foi responsável pela direção do comercial da Coca-Cola que circulou pelo país - a marca é patrocinadora da equipe nacional.

 

A paixão por futebol e cinema é tão grande que o goleiro organiza "sessões de cinema" nas concentrações. Os objetivos são distrair os jogadores e estimular o espírito de equipe.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.