Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Cirurgia faz Palmeiras perder Leandro por até três meses

Atacante sofre uma fratura no pé esquerdo e previsão dos médicos é que ele tenha que ficar longe dos gramados por até 12 semanas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2015 | 18h36

O atacante Leandro, que terminou a temporada passada embaixa no Palmeiras, começou 2015 em uma situação ainda pior. O jogador teve que passar poruma cirurgia nesta segunda-feira e o prazo estimado para voltar aostreinamentos é de oito a 12 semanas, o que deve complicar ainda mais suasituação na disputa por uma vaga no time.

O jogador foi submetido a uma cirurgia para tratar umafratura de stress no pé esquerdo. Os médicos do Palmeiras e o especialistaRenato Masagão analisaram os exames e chegaram a conclusão que a solução seriaa cirurgia, para que sua recuperação fosse mais rápida. Ele foi operado noHospital Alberto Einstein e terá alta nesta terça-feira.

No ano passado, o atacante foi um dos jogadores maiscriticados no setor e chegou a ser especulado como um dos atletas que poderiamser emprestados para outros clubes. Ele chegou ao Palmeiras e logo caiu nasgraças da torcida, sendo um dos destaques do time campeão da Série B em 2013,mas ele não conseguiu repetir o feito no ano seguinte.

Em 2014, ele marcou apenas três gols em 35 jogos que estevepresente. O jogador chegou ao Palmeiras como parte da negociação em que oatacante Hernan Barcos foi para o Grêmio e em troca chegaram quatro atletas aoAlviverde. Além de Leandro, Leo Gago, Rondinelly e Vilson foram emprestados.Após o período de empréstimo, o Palmeiras acabou contratando o atacante.

Neste ano, o Palmeiras já contratou Dudu, Rafael Marques eLeandro para o ataque e acerta os últimos detalhes para fechar também comJonathan Cafu.

Tudo o que sabemos sobre:
PalmeirasFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.