Citadini aproveita e ?alfineta? Leco

Nem bem o jogo deste sábado terminou e começou a guerra verbal entre Corinthians e São Paulo, virtual finalista do Campeonato Paulista.Durante a semana, o diretor de futebol do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, fez provocações. Disse que qualquer que fosse o adversário do São Paulo na final, seria um "simples vice-campeão".Após a vitória deste sábado, Antônio Roque Citadini, vice-presidente do Corinthians, foi à forra e deu o troco. "Este dirigente sempre tropeça nas declarações que faz. Aliás, ele tem falado muitas coisas que têm complicado a situação do Oswaldo de Oliveira, que éo técnico do São Paulo. Eu já estou mais ´escolado´, aprendi. Ele precisa aprender a se controlar", disse. A seguir, Citadini fez uma revelação. Perguntado sobre Ricardinho, que saiu do Corinthians depois de uma árdua disputa entre os dois clubes, afirmou: "Olha, quero que o Ricardinho jogue bem.Afinal, o Corinthians ainda tem 25% sobre os seus direitos federativos", afirmou.Longe da polêmica envolvendo os dois cartolas, o técnico Geninho esbanjava satisfação com o rendimento de seu time. "Engana-se quem pensa que foi um jogo fácil. O mérito do Corinthians foi ter conseguido explorar e bem os contra-ataques. Era de se esperar que o Palmeiras partiria para cima de nós. E hoje, pela primeira vez, nós conseguimos fazer bem as jogadas de contra-ataque.Claro que para um time que precisava só de um empate, como nós, conseguir colocar três gols na frente como conseguimos foi uma grande vantagem", disse.Geninho não perde a chance para dizer que o Corinthians já tem a sua cara, maneira como ele gosta de montar as equipes que dirige. "O time já tem bastante da minha cara, isto é inegável. Mas eu não quero que o time perca as virtudes que tinha na época em que era comandado pelo Parreira. Quero uma mescla. Como tenho jogadores de velocidade, como o Liedson, Jorge Wagner, Gil e Kléber, quero a equipe chegando com rapidez ao ataque." Para o São Paulo, provável adversário da equipe na final, só elogios. "O São Paulo é uma grande equipe. Nos últimos jogos vem aprendendo a jogar com mais inteligência e certamente será um grande adversário para o Corinthians", disse.O treinador aproveitou para elogiar o goleiro Doni, que fez grandes defesas no segundo tempo. "O rendimento dele serviu para calar os que ainda falam que o clube precisa contratar outro goleiro. O Doni é um grande goleiro e eu sempre confiei nele", falou.Ao lado, Doni ouvia os elogios do chefe e aproveitou a chance para desabafar. "Eu não estou nem aí para os que me criticam. Estou cansado de dizer que sou o titular do Corinthians e que tenho a confiança de meu treinador e dos meus companheiros. Agora, se quiserem falar que o Corinthians vai contratar outro goleiro, que falem", disse, irritado.Terça-feira, o Corinthians enfrenta o The Strongest, no Pacaembu, pela Copa Libertadores da América. O time lidera o Grupo 8 da competição, com seis pontos. A equipe boliviana tem três, mesma pontuação de Cruz Azul, do México, e Fênix, do Uruguai. A novidade da equipe deverá ser o retorno de Fabinho, que cumpriu suspensão no clássico deste sábado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.