Citadini depõe sobre a MSI

O vice-presidente do Corinthians, Antonio Roque Citadini, prestou depoimento de quatro horas nesta segunda-feira na sede do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), órgão do Ministério Público de São Paulo, que investiga a procedência dos investimentos por trás da parceira corintiana, a MSI.De acordo com o promotor José Reinaldo Guimarães Carneiro, o dirigente não levou fatos novos, mas a conversa serviu para oficializar informações que já haviam sido veiculadas pela imprensa. ?Foi importante, por exemplo, porque ele (Citadini) ouviu do presidente do Corinthians, Alberto Dualib, como foi feita a viagem da delegação do clube para a Europa, na qual visitaram o russo Boris Berezovski e o georgiano Badri Parkatsishvili?, disse. ?Agora, temos um depoimento assinado por uma testemunha importante sobre esse episódio. O que não tínhamos até agora neste inquérito.?Citadini esclareceu ainda como Kia Joorabchian, apresentado pelo empresário Renato Duprat, procurou o clube pela primeira vez, em julho de 2004. Inicialmente, tinha a intenção apenas de comprar os direitos de transmissão das partidas, depois é que foi pensar em parceria.Dia 5 de agosto do ano passado, o presidente do clube, sua neta, Carla Dualib, Andrés Sanchez, hoje diretor de Futebol, e Nesi Curi, vice-presidente, estiveram em Londres, onde visitaram Berezovski. Em seguida, foram a Tiblisi e conheceram Badri. Dias depois, em reunião do Conselho Deliberativo, Alberto Dualib declarou que ?eles têm muito dinheiro, gastaram US$ 500 mil com a gente?. Kia nega atualmente que qualquer um destes investidores esteja envolvido com a parceria.O Ministério Público investiga desde janeiro. Segundo Carneiro, as ações, que inclui o trabalho em conjunto com órgãos de investigação do exterior, caminham ?muito bem?. ?Ainda não posso revelar o que temos, por enquanto é sigiloso?, justifica-se o promotor. Quinta-feira, às 13h30, será ouvido o diretor da MSI, Paulo Angioni.

Agencia Estado,

21 de fevereiro de 2005 | 19h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.