Filippo Monteforte/AFP
Filippo Monteforte/AFP

City supera o Napoli na Itália, segue 100% e se classifica na Liga dos Campeões

Equipe comandada por Guardiola se garante nas oitavas da competição com vitória por 4 a 2, no estádio San Paolo

Estadão Conteúdo

01 Novembro 2017 | 20h10

O técnico espanhol Pep Guardiola disse na véspera do jogo contra o Napoli que o Manchester City precisava de jogos difíceis para mostrar o quanto é forte para lutar pelo título das Liga dos Campeões da Europa. Nesta quarta-feira, no estádio San Paolo, em Nápoles, mostrou que pode ser considerado um favorito ao ganhar por 4 a 2, pela quarta rodada do Grupo F, seguir com 100% de aproveitamento e, assim, garantir antecipadamente uma vaga nas oitavas de final.

+ TEMPO REAL - Napoli 2 x 4 Manchester City

+ Tottenham passa fácil pelo Real e se garante nas oitavas

Com 12 pontos, faltando apenas mais dois jogos para o final da fase de grupos, o Manchester City não pode mais ser superado pelo próprio Napoli, que se manteve na terceira colocação com três. Para o time italiano, a derrota foi desastrosa também pelo fato do Shakhtar Donetsk ter batido o lanterna Feyenoord (sem pontuar) por 3 a 1, em Kharkiv - com dois gols do brasileiro Marlos, ex-São Paulo. O time da Ucrânia é o vice-líder com nove pontos e só precisa de mais um para se classificar.

A quinta rodada será disputada no próximo dia 21, às 17h45 (de Brasília). A "decisão" entre Napoli e Shakhtar Donetsk acontecerá no estádio San Paolo, em Nápoles. Na Inglaterra, o Manchester City tentará se manter com 100% de aproveitamento contra o Feyenoord, que ainda lutará pelo terceiro lugar contra os italianos, que vale vaga na Liga Europa.

Em campo, o duelo entre Napoli e Manchester City começou a mil por hora. Os dois faziam pressão na saída de bola do adversário e quem se deu melhor foi o time italiano, que abriu o placar aos 21 minutos. Em jogada pela esquerda, Insigne e Mertens tabelaram e o atacante italiano ficou livre na frente do goleiro brasileiro Ederson para chutar no canto esquerdo. A partir daí, o clube da Itália preferiu se precaver um pouco mais na defesa e começou a dar espaço para os ingleses. Em um escanteio da direita, o zagueiro Otamendi fez de cabeça, aos 34, o gol de empate.

Para a segunda etapa era esperada uma pressão do Napoli em busca da vitória. Só que foi o Manchester City que virou o placar logo aos três minutos. Após escanteio da direita, o zagueiro Stones acertou a cabeçada no ângulo direito de Pep Reina. A bola bateu no travessão e dentro do gol, poucos centímetros depois da linha. Tanto que o recurso tecnológico da linha do gol foi usado pelo árbitro para confirmá-lo.

Um pouco abatido com o gol sofrido, o Napoli demorou para engrenar de novo. Uma ajudinha de Sané, que fez um pênalti desnecessário em Albiol, aos 16 minutos, foi dada. O brasileiro Jorginho bateu bem a cobrança e deixou tudo igual novamente no estádio San Paolo.

Aí foi a vez de um jogador do Napoli retribuir a ajuda. Aos 24 minutos, o eslovaco Hamsik perdeu a bola na entrada da área e permitiu um rápido contra-ataque do Manchester City. Sané carregou a bola até a entrada da área e foi desarmado parcialmente. A bola sobrou para o centroavante Sergio Agüero, que bateu colocado no canto esquerdo de Reina para fazer 3 a 2. Foi o 178.º gol do argentino, que se tornou o maior artilheiro da história do Manchester City.

No final, aos 46 minutos, um novo contra-ataque acabou em mais um gol dos ingleses. O belga De Bruyne carregou a bola desde o meio de campo e da entrada da área tocou na direita para Sterling. O atacante inglês dominou e chutou cruzado e rasteiro para definir a vitória do Manchester City.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.