Clássico da auto-afirmação no Morumbi

Corinthians e Palmeiras fazem neste domingo, às 16 horas, no Morumbi, um clássico de auto-afirmação. Os dois rivais têm ambições quase nulas de título no Campeonato Paulista mas, com times em formação e perto de confrontos decisivos em outros torneios, duelam em busca de autoconfiança e do apoio dos torcedores. "O clássico vale mais que três pontos", diz o meia corintiano Roger, uma das atrações do confronto. "Existe uma expectativa a mais, um gosto especial que mexe com os sentidos. É nosso maior rival. A torcida já se prepara duas semanas antes e uma vitória garante a paz", completa o lateral palmeirense Correia.Durante a semana, o volante Magrão esquentou o clima para o clássico fazendo críticas a supostos privilégios do atacante Carlos Tevez no Parque São Jorge. O argentino, porém, contemporizou e evitou polêmica.O Corinthians é 4.º colocado, com 22 pontos; o Palmeiras tem 17, ocupa o 9.º lugar. Ambos ainda têm chances de superar o São Paulo, com 32, mas usam o Estadual para entrosar as equipes com outros objetivos.Os corintianos, após os milhões investidos pela MSI, só pensam em se preparar para o Campeonato Brasileiro. Os palmeirenses, por sua vez, lideram o Grupo 4 da Taça Libertadores e sonham com o título. "O Palmeiras está em formação, é um time jovem que está melhorando, começando a ganhar padrão de jogo. Não tem grandes estrelas, a não ser o Marcos e o Magrão, mas vai de igual para igual para o clássico" diz o técnico Candinho. "Acho justo a imprensa dizer que o Corinthians é favorito, mas eu, pela minha experiência como treinador, acho que não é."Candinho faz mistério e escalará o time somente no vestiário. O titular Lúcio está suspenso e Fabiano assume a lateral-esquerda. Pedrinho começa jogando, provavelmente de novo no ataque, no lugar de Ricardinho, mas pode também aparecer no meio, tomando a posição de Diego Souza.Daniel Passarella, técnico do Corinthians, espera ver no time os ensinamentos dos últimos dias, com mais garra e marcação e dispensa atenção especial ao palmeirense Pedrinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.