Clássico define futuro do Brasileirão

O clássico entre Corinthians e Palmeiras deste domingo, no Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro, ganhou ingredientes extras que aumentam ainda mais a importância do resultado. A vitória é fundamental para que o Palmeiras se mantenha na briga pelo título ? e ver o sonho de ser campeão escapar com uma derrota para o rival está longe de ser uma idéia agradável para qualquer torcedor palmeirense. O líder do campeonato espera deixar mais um concorrente pelo caminho ? já o fez contra Fluminense e Santos, com remotas chances de levantar a taça.Depois de jogos sem grandes aspirações, onde a importância ficou limitada à rivalidade, finalmente as equipes voltam a se encontrar em confronto decisivo. E apesar de ainda não valer título, esta sendo tratado por ambos como final antecipada. Ao Corinthians, vale o retrospecto dos últimos 11 confrontos, dos quais só perdeu uma vez. Não perdendo, mantém os 10 pontos de diferença ou, ganhando, os aumenta para 13, restando 10 rodadas.Mas os times entrarão em campo com desfalques importantes. No líder, os meio-campistas Roger, Rosinei e Carlos Alberto estão suspensos e o técnico Antônio Lopes coça a cabeça para encontrar substitutos à altura. Deve optar por Fabrício e Hugo. No Palmeiras, Leão terá a difícil missão de montar a equipe sem seu principal atacante, Marcinho, também suspenso. Insatisfeito com o desempenho de André Cunha na lateral, deslocou o volante Correa para a posição e colocou Roger em seu lugar. "O André foi substituído nos dois últimos jogos porque não estava bem e acho que não preciso explicar mais. Roger entrou por ser mais marcador e ter vigor físico", observou o técnico, que não quis confirmar Warley no lugar de Marcinho. Ele detestou o desempenho do jogador no treino de sexta-feira e por isso cogita, inclusive, escalar Washington ou até mesmo o jovem Cláudio ao lado de Gioino. No último treino, deu atenção especial às jogadas de bola parada.Paralelamente, haverá uma atenção especial sobre o árbitro Wilson de Souza Mendonça por causa do recente conflito na partida entre Corinthians e Santos, um dos 11 disputados novamente por causa do Escândalo do Apito. O time do Parque São Jorge venceu por 3 a 2 mas o jogo não chegou ao seu final porque a torcida santista se revoltou contra as decisões do juiz Cléber Wellington Abade e invadiu o gramado.

Agencia Estado,

15 de outubro de 2005 | 20h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.