Clássico espanhol agita dia em Madri

O encontro dos dois maiores rivais do futebol espanhol transformou o sábado de inverno em Madri. A cidade amanheceu com o tempo estranho que tem feito nos últimos dias - sol, vento frio, chuviscos, chuva forte, alternadamente -, mas tomou as cores do time local e do adversário catalão. No centro velho, entre a Porta do Sol e a Plaza Mayor, lojas especializadas em esporte ou aquelas que vendem artigos para turistas, expuseram camisas, cachecóis, flâmulas, fotos de ambas as equipes. Desde a manhã, grupos de torcedores do Barcelona circulavam na área central, sob discretíssima vigilância policial e sem maiores incidentes. A torcida do Real dava o ar da graça, também desfilando com bonés e com camisas (sob casacos) do time. Indiferentes ao jogo, só os milhares de turistas alemães, ingleses, franceses - e japoneses - que começam a invadir Madri, uma das capitais européias que mais acolhem visitantes. Os ambulantes com bugingangas de Real e Barça se concentraram mais ao longo do Paseo de la Castellana, avenida que leva ao Estádio Santiago Bernabéu e à estação de trem de Chamartín, de onde desembarcam torcedores vindos da Catalunha. A polícia montou esquema especial, desde o começo do dia, e a previsão era a de que 700 homens deveriam trabalhar dentro e fora do campo, para garantir segurança às 80 mil pessoas que compraram ingressos. As emissoras de televisão trataram do jogo como evento especial. A Telemadrid preparou esquema com 26 câmeras espalhadas pelo Bernabéu, para acompanhar a movimentação de jogadores e árbitros de todos os ângulos. A emissora é responsável pela geração de imagens para o país e para o resto da Europa e das Américas. Desde a manhã, a Telemadrid passou flashes e programas especiais sobre o duelo. A TV-3, de Barcelona, elaborou maratona de 11 horas de transmissões. Os canais Real Madrid TV e Barça, especializados nessas equipes, fizeram o mesmo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.