Clássico mineiro: cheio de mistério

O Cruzeiro defende a liderança isolada da Copa Sul-Minas, neste sábado, às 16 horas, no Mineirão, contra o Atlético-MG, no primeiro clássico da temporada entre os rivais. O técnico cruzeirense Marco Aurélio, que vem de goleada história por 7 a 0 sobre o América-MG, no último fim de semana, recusa a idéia de favoritismo de seu time, embora acumule sete vitórias e apenas um empate desde o início do ano. No Atlético, o treinador Levir Culpi espera vencer o clássico para consolidar a recuperação da equipe, que esteve em crise, mas vem de três vitórias seguidas - duas pela Sul-Minas, na qual é 10º colocado, com oito pontos, e a última contra oJuventude do Mato Grosso, no meio da semana, pela Copa do Brasil. Seguindo a tradição dos confrontos entre os dois maiores times de Minas, os técnicos fazem mistério com as escalações. Preocupado em fazer uma forte marcação sobre Marques, considerado o destaque do Alvinegro, Marco Aurélio deixou para ovestiário a definição sobre o volante que estará ao lado de Ricardinho e que, provavelmente, ficará incumbido de seguir de perto o atacante: as opções são Augusto Recife e Fernando Miguel. Também buscando uma estratégia para anular as ações do atacante cruzeirense Edílson, Levir não quis adiantar quem cuidará da cabeça-de-área junto com o confirmado Gilberto Silva. O mais provável é que Cleisson, que se desentendeu com o treinador, há duas semanas, foi afastado do grupo e teve de pedir perdão para ser reintegrado, esteja em campo. No jogo com o Juventude-MT, Cleisson entrou no segundo tempo e, conforme admitiu o próprio Levir, o Atlético subiu de produção. Os dirigentes dos dois clubes esperam casa cheia no Mineirão, já que 70 mil ingressos foram colocados à venda e, apenas nesta sexta-feira, mais de 15 mil já haviam sido comprados pelos torcedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.