Werther Santana/Estadão
Osorio tenta vitória para minimizar crise interna no São Paulo Werther Santana/Estadão

Palmeiras pode definir saída de Osorio do São Paulo

Em crise, time do Morumbi busca roubar vaga do rival no G-4

Ciro Campos e Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2015 | 07h00

O clássico entre São Paulo e Palmeiras é uma disputa direta por uma vaga no G-4 do Brasileirão. O Palmeiras é o quarto colocado com dois pontos acima do rival de hoje, às 16h, no Morumbi (44 a 42). Embora disputem uma vaga na Copa Libertadores, os dois times têm trajetórias muito diferentes. O São Paulo está em uma crise aberta; o Palmeiras, em ascensão, sem rusgas entre jogadores, comissão técnica e a diretoria. 

A campanha do São Paulo tem sido marcada pela irregularidade. Em geral, o time vai bem nos grandes jogos (Grêmio e Corinthians), mas tropeça nos pequenos (Avaí, Chapecoense e Goiás). Na semana passada, o técnico Juan Carlos Osorio atribuiu essa sequência de altos e baixos às disputas políticas do clube. Ele se referia à lavação de roupa suja feita entre o presidente Carlos Miguel Aidar e o Alexandre Bourgeois, demitido da função de CEO. 

Na sexta-feira, no entanto, foi o próprio Osorio quem colocou mais lenha na fogueira ao afirmar que não confiava na diretoria e tomaria uma decisão sobre seu futuro após os jogos de hoje e de quarta-feira contra o Vasco pela Copa do Brasil. A crise, portanto, está aberta. 

A equipe que vai tentar resistir a essa turbulência não terá Luis Fabiano. O atacante teve uma trauma em duas costelas na quarta-feira e não tem prazo para voltar. Sem a presença de um jogador especialista na área, será preciso improvisar. A tendência é a entrada de Rogério e a escalação de Ganso como um falso centroavante. No restante, a equipe deve ser parecida à que bateu o Vasco por 3 a 0.

No ambiente tenso do São Paulo, uma nova derrota para o rival seria catastrófica. No primeiro semestre, o Palmeiras venceu por 3 a 0 e 4 a 0. Apesar da proximidade na tabela do Brasileiro, Osorio reconhece que o Palmeiras vive um momento melhor. “É uma grande oportunidade em nossa casa e com nossa torcida de competir com um dos elencos mais robustos da competição. Mesmo com menos jogadores, temos qualidade para enfrentar o Palmeiras”, explicou. 

Dono do melhor ataque do torneio e de uma sequência de três vitórias seguidas, o Alviverde busca consolidar sua posição entre os quatro melhores. “Uma vitória vai nos dar tranquilidade dentro do G-4”, disse Rafael Marques, que deverá ser titular por causa do último jogo de suspensão de Dudu. 

O técnico Marcelo Oliveira tem apenas uma dúvida: a presença de Zé Roberto, fora do último jogo por causa de dores musculares. Se Zé Roberto atuar pela esquerda ou ficar fora do clássico, o time será mais defensivo porque terá Amaral e Thiago Santos como volantes. A escalação de Zé Roberto no meio indica que o Palmeiras quer mesmo sua quarta vitória seguida. 

“Não tenho argumentos para avaliar o trabalho ou as declarações do Osorio. Estamos focados em criar bastante para defender essa posição no G-4 que conquistamos com tanto sacrifício”, diz o treinador. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Pato e Gabriel Jesus querem quebrar jejum em clássicos

Jovens atacantes estão em boa fase em seus clubes

Ciro Campos e Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

27 de setembro de 2015 | 07h00

Alexandre Pato e Gabriel Jesus, algumas das principais esperanças de seus times, passaram em branco nos clássicos que disputaram em 2015. 

O são-paulino tem 24 gols no ano e esteve em campo nos dois maiores vexames do São Paulo na temporada, justamente as duas pesadas derrotas para o Palmeiras. Se marcar hoje, poderá amenizar essa frustração e reforçar os pedidos por sua convocação para a seleção brasileira. O último gol dele em clássicos foi em agosto do ano passado, contra o Santos.

Aos 26 anos, vive a melhor temporada da carreira e cresceu muito sob o comando de Osorio, grande entusiasta do futebol de Pato. “Alexandre vive grande fase e é um dos melhores na sua posição, aberto pela esquerda”, disse o colombiano. 

O desfalque de Luis Fabiano faz Pato se transformar na principal esperança de gols do time.

Gabriel Jesus não tem sido brilhante, mas mostra efetividade e regularidade nos últimos jogos. Ele fez um gol contra o Fluminense, deu uma assistência na partida diante do Grêmio e acertou o travessão contra o Internacional, pela Copa do Brasil. Tem mostrado bom entrosamento com Lucas Barrios e virou titular absoluto. Em 23 jogos pelo Palmeiras, já fez seis gols, nenhum deles em um clássico. 

O treinador Marcelo Oliveira tem elogiado sua dedicação tática. “Qual é o jogador que ataca, cria boas jogadas e ainda corre atrás do lateral? Ele está evoluindo bastante”. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.