Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

Claudinei cobra aproveitamento de 70% no Santos

Equipe ocupa o nono lugar do Brasileirão, com 40 pontos, oito acima da zona de rebaixamento

Agência Estado

18 de outubro de 2013 | 15h26

SANTOS - O técnico Claudinei Oliveira estipulou uma meta de 70% de aproveitamento dos pontos no Santos até o final do Campeonato Brasileiro. Restando nove rodadas para o encerramento da competição, o time teria que somar 19 pontos para atingir esse objetivo e manter vivo o difícil sonho de classificação para a próxima edição da Libertadores.

"A gente tem que pontuar. Fazer pelo menos 70% de aproveitamento daqui até o final do campeonato. Não podemos achar que estamos batendo uma bolinha, jogar por jogar. Aí podemos nos complicar. Temos que ter entrega e comprometimento. Continuar com a mesma pegada. Acho difícil não chegarmos numa pontuação de pelo menos 50 pontos. Vamos cobrar os jogadores de chegar à maior pontuação possível", afirmou Claudinei.

No momento, o Santos ocupa o nono lugar no Campeonato Brasileiro, com 40 pontos, oito acima da zona de rebaixamento, mas nove atrás da zona de classificação para a próxima Libertadores. Claudinei sabe que a falta de objetivos concretos provoca o risco de acomodação, mas prometeu cobrar os jogadores para que isso não aconteça. Além disso, lembrou que o quinto lugar no Brasileirão pode render uma vaga na Libertadores se um dos quatro primeiros colocados vencer a Copa do Brasil.

"Cobro dos jogadores o mesmo comprometimento e a mesma entrega que eu tenho todos os jogos. Só de jogar com a camisa do Santos FC já é um privilégio que muita gente tenta e não consegue. Isso por si só já é uma motivação. Mas, não estamos nem matematicamente fora da Libertadores e nem livres do rebaixamento. Temos que pontuar e buscar coisas grandes. Olhar para cima. Não olhar um jogo de qualquer jeito e no final, por causa de dois pontos, ficarmos em quinto e um time que está no G4 não ganhar Copa do Brasil", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.