Frankie Marcone/Futura Press
Frankie Marcone/Futura Press

Claudinei Oliveira deixa o Paraná e acerta com a Chapecoense

Treinador chega para substituir Guto Ferreira e tentar salvar a equipe catarinense do rebaixamento

O Estado de S.Paulo

16 Outubro 2018 | 16h46

Chapecó (SC) - Claudinei Oliveira é o novo técnico da Chapecoense. Depois de confirmar a saída de Guto Ferreira, o clube de Santa Catarina agiu rápido nos bastidores e foi até Curitiba para tirar o treinador do Paraná, que brigava contra a lanterna do Campeonato Brasileiro. Agora, em Chapecó, ele vai encontrar um cenário parecido, também na zona de rebaixamento, mas com um quadro um pouco melhor: faltando nove jogos, o clube soma 31 pontos.

O Paraná contratou Claudinei Oliveira no dia 15 de agosto, após confirmar a saída de Rogério Micale. Com muitos problemas para escalar o time, sofrendo baixas, lesões, suspensões e até mesmo negociações no meio da temporada, o treinador não conseguiu engrenar. No total, foram 11 jogos sem nenhuma vitória, com apenas três empates e oito derrotas, aproveitamento de apenas 9% dos pontos disputados.

"É uma decisão já pensando no futuro. A diretoria entendeu a situação e me liberou. Agradeço ao presidente Leonardo de Oliveira e ao gerente Marcos Oliveira por todo o empenho que tiveram nesta minha nova passagem pelo Paraná", falou Claudinei durante sua despedida. Ele deixa o Paraná com 17 pontos e sem vencer há 15 jogos, com a pior campanha da competição. Agora, assume a Chapecoense na 18ª colocação, um ponto abaixo do Vitória, primeiro time livre da degola.

Com 49 anos, Claudinei pegou uma sequência de trabalhos "na fogueira". No ano passado, não conseguiu evitar o rebaixamento do Avaí no Campeonato Brasileiro e só foi deixar o clube de Florianópolis no início desta temporada. Assumiu o Sport, que também vivia momento complicado na zona do rebaixamento. Depois, embarcou no projeto do Paraná e agora acerta com a Chapecoense. Na carreira, tem bons trabalhos no Santos, Atlético-PR, Vitória e Goiás.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.