Cléber, meia do Bahia, sofre derrame e passa por cirurgia

Ele está em coma induzido e respira com aparelhos até quarta; ainda não tem previsão de alta do hospital

Tiago Décimo, Estadão

23 de outubro de 2007 | 14h50

O meio-campista do Bahia, Cléber (Cléberson Luciano Frolich), de 31 anos, recupera-se de uma cirurgia para a retirada de um coágulo no cérebro (craniotomia) a que foi submetido na segunda-feira, no Natal Hospital Center, na capital potiguar. Cléber teve um acidente vascular cerebral (AVC) na manhã de segunda, no hotel em que a delegação do time baiano ficou hospedado depois da derrota para o ABC, no domingo, por 4 a 3, pela Série C do Campeonato Brasileiro. Escalado entre os reservas, Cléber não chegou a atuar no jogo. Segundo o médico do Bahia, Marcos Lopes, o jogador acordou com forte dor de cabeça e reclamando de tontura. Foi levado ao hospital e submetido a uma tomografia, que constatou uma má-formação genética dos vasos sanguíneos cerebrais do jogador e o hematoma cerebral. No caminho para o centro médico, Cléber chegou a ter uma parada cardiorrespiratória, mas foi reanimado. De acordo com Lopes, o quadro clínico do jogador é estável. Ele está em coma induzido e respirando com a ajuda de aparelhos - situação que deve ser mantida até a manhã de quarta-feira. "É um procedimento normal manter o coma depois de uma cirurgia como essa, para diminuir a atividade cerebral", afirma o médico. Não há previsão de alta do jogador, que foi contratado pelo Bahia em junho apenas para disputar a Série C - o contrato termina em 30 de novembro. Antes, ele havia jogado pelo rival, Vitória, no Campeonato Baiano de 2007. Lopes afirma que Cléber não pode voltar a jogar.

Tudo o que sabemos sobre:
Brasileirão Série CEC Bahiaderrame

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.