Clemer admite discussão e diz que sai do Inter contra a vontade

Foram 13 anos de serviços ao Internacional até que o ex-goleiro, ex-preparador de goleiros e hoje treinador Clemer fosse demitido do clube, na semana passada. Nesta terça-feira, o ex-técnico do Inter B concedeu entrevista coletiva para falar sobre sua saída e confirmou que discutiu com um auxiliar. Mas evitou relacionar a briga à sua demissão.

Estadão Conteúdo

12 de maio de 2015 | 18h25

"Eu tive uma discussão com outro profissional dentro do treinamento. Foi uma discussão mais ríspida. Criou-se uma situação bem maior do que era. São coisas que acontecem no trabalho, no dia a dia. É algo do passado. Já foi resolvido. Também não tem nada com minha saída do Internacional", garantiu Clemer.

Clemer estava no Beira-Rio desde 2002, contratado junto ao Flamengo. Como goleiro, fez mais de 300 partidas pelo clube colorado, sendo titular em conquistas importantes como a Libertadores e o Mundial de Clubes de 2006, a Copa Sul-Americana de 2007 e seis edições do Campeonato Gaúcho, entre outros títulos.

Aposentado em 2009, era o preparador de goleiros do time que venceu a Libertadores de 2010. Como treinador, começou a carreira no sub-17, em 2011, e atualmente treinava o Inter B. Pelas mãos dele passaram quase todos os garotos que levaram o clube ao título Gaúcho deste ano entre os profissionais. Na base, ganhou o Brasileiro Sub-17 e a Copa do Brasil Sub-20.

"Foi uma decisão da diretoria em achar que esse era o momento para eu sair do clube, para eu seguir minha carreira. Quero deixar bem claro que estou saindo não pela minha vontade. Havia um planejamento, que seria dentro do Inter, mas, por decisão da diretoria, temos que acatar, até porque somos funcionários do clube", lamentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolClemerInter

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.