Clube búlgaro Botev é novamente punido por racismo

O clube búlgaro de futebol Botev Plovdiv foi punido pela segunda vez em menos de dez dias pelo comportamento racista de seus torcedores, desta vez por incidentes relativos à partida contra o Litex Lovech, no último dia 13.A federação búlgara obrigou o clube a jogar mais uma partida em casa pelo campeonato local com portões fechados depois de condená-loa pagar uma multa de 37.500 levas (18.750 euros) e fazê-lo disputar um jogo sem a presença de seus torcedores na medida anterior, relativa à partida contra o Levski, em agosto.Além disso, fontes da federação confirmaram a retirada de três pontos do clube como punição por causa dos insultos e cartazes racistas exibidos por seus torcedores na derrota por 6 a 0 para o Levski, no dia 17 de agosto.Segundo a federação, a decisão foi tomada pela comissão disciplinar após receber uma carta da organização Futebol contra o Racismo na Europa (Fare, na sigla em inglês), que convidava várias entidades, entre elas a Uefa, a tomarem medidas adequadas para lutar contra a discriminação racista ou xenófoba."Recebemos informações da Bulgária de que durante a partida entre Botev e Levski os torcedores do clube da cidade de Plovdiv organizaram uma coreografia nazista e insultaram os jogadores do elenco rival imitando sons de macacos", disse a carta da Fare à federação búlgara."Caso estas informações estejam corretas, exigimos que a federação búlgara tome medidas adequadas para não permitir a repetição de demonstrações racistas e nazistas", acrescentou o texto, assinado por Kurt Wachter.Assim, o Botev fica com zero ponto e ocupa a última posição no Campeonato Búlgaro. No Litex Lovech atuam os brasileiros Sandrinho, Du Bala, Dudu e o naturalizado búlgaro Tom.

EFE,

25 de setembro de 2008 | 18h28

Tudo o que sabemos sobre:
racismofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.