Andrew Yates/Reuters
Andrew Yates/Reuters

Clube da China vai oferecer R$ 322 milhões por Diego Costa

Tianjin Quanjian, equipe de Jadson, fará proposta ao Chelsea; Salário do atacante chegaria a R$ 1,9 milhão por mês

O Estado de S.Paulo

01 de janeiro de 2017 | 15h23

Os milionários clubes de futebol chineses não param de oferecer valores estratosféricos para contratar os melhores jogadores do mundo. O próximo atleta a receber uma oferta tentadora é o brasileiro naturalizado espanhol Diego Costa. Segundo o jornal inglês The Sun, o Tianjin Quanjian prepara uma oferta de 80 milhões de libras (R$ 322 milhões) para tirar o atacante do Chelsea, da Inglaterra. O jogador, ainda de acordo com o tabloide, receberia R$ 1,9 milhão por mês.

É a segunda vez em um mês que o Tianjin Quanjian tenta contratar Diego Costa. A primeira oferta de 50 milhões de libras foi recusada pelos ingleses. O atacante, que vive grande fase, é o artilheiro do Campeonato Inglês, com 14 gols, e se transformou em um dos principais jogadores da equipe comandada pelo técnico Antonio Conte.

O Tianjin Quanjian conseguiu o acesso à primeira divisão do futebol chinês neste ano. Até 2016, o time foi comandado pelo técnico Vanderlei Luxemburgo, que foi substituído pelo italiano Fabio Cannavaro. No Tianjin, jogam os brasileiros Jadson, ex-Corinthians, e Geuvanio, ex-Santos. 

PROPOSTAS TENTADORAS

Na semana passada, o empresário de Cristiano Ronaldo revelou que o astro do Real Madrid recebeu uma oferta de R$ 1 bilhão para se transferir ao futebol chinês. Segundo Jorge Mendes, que também é empresário de Diego Costa, a proposta incluía ainda um salário de mais de 100 milhões de euros (aproximadamente R$ 343 milhões) por temporada. Cristiano Ronaldo, no entanto, disse que continua no Real Madrid.

Já o argentino Carlitos Tevez não resistiu às ofertas tentadoras. O atacante foi confirmado como novo reforço do Shanghai Shenhua. Tevez, que estava no Boca Juniors, ganhará R$ 38 milhões por temporada e terá o maior salário do mundo do futebol. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.