Michael Kooren/Reuters
Michael Kooren/Reuters

Clube de Haia bane 22 torcedores após cânticos racistas

Grupo do ADO Den Haag imitava sons de macaco para Bazoer

Estadão Conteúdo

22 Janeiro 2016 | 12h53

O clube ADO Den Haag anunciou nesta sexta-feira que 22 torcedores do clube estão proibidos de assistir nos estádios os jogos da equipe após apresentarem comportamento racista durante a derrota do time para o Ajax por 1 a 0, no último domingo, pelo Campeonato Holandês.

Um grupo de torcedores realizou repetidamente barulhos que imitavam sons de macacos quando o meio-campista do Ajax Riechedly Bazoer, que é negro, tocava na bola no Kyocera Stadion, de propriedade do ADO Den Haag.

Em comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira, o ADO também prometeu agir para que esses torcedores sejam responsabilizados por qualquer dano financeiro que o clube venha a sofrer em razão desses cânticos. A Associação Holandesa de Futebol abriu uma investigação sobre o incidente, mas ainda não anunciou qualquer punição ao clube de Haia.

"Não entendo como ainda existe racismo nos estádios em 2016", afirmou Bazoer, em entrevista ao site oficial do Ajax. "Estou decepcionado que os cânticos e ruídos puderam continuar sendo feitos ao longo de quase todo o jogo", acrescentou o meio-campista, de apenas 19 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.