Clube dos 13 ameaça processar a CBF

O arsenal de confusões e batalhas jurídicas dos dirigentes brasileiros parece inesgotável. Depois de praticamente oficializar a criação da Liga dos clubes e a intenção de organizar um campeonato próprio, o Clube dos 13 agora ameaça processar a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O motivo da briga continua sendo o Clube do Remo, que obteve liminar garantindo sua inclusão no Brasileiro, cada vez mais ameaçado de não começar na data previsa, 1.º de agosto. O presidente do Clube dos 13, Fábio Koff, disse hoje à Agência Estado que já autorizou os advogados da entidade a estudar a melhor forma de ingressar com ação. "A CBF tem o dever de organizar um campeonato com 28 clubes, como está previsto, e tem instrumentos para punir o Remo pelo fato de o clube ter ingressado com ação na Justiça comum", afirma Koff. "Por isso nosso departamento jurídico já foi acionado para apontar o melhor caminho para processarmos a CBF, o Remo ou quem quer que seja." O dirigente está pressionando a CBF porque reconhece que a possibilidade de organização de um campeonato da Liga ainda em 2001 é cada vez mais remota. Koff já fala até na hipótese de não haver Brasileiro. "Se dependesse unicamente da minha vontade, não teríamos futebol no segundo semestre. Seria uma boa oportunidade para lavar toda a roupa suja do futebol brasileiro e recomeçar do zero." No Pará, o presidente do Clube do Remo, José Licínio Carvalho, mostra-se irredutível. "O Remo está ansioso para participar do campeonato como um noivo à espera da noiva no altar da igreja", comparou. "A liminar em nosso poder nos dá o direito de participar também do campeonato da Liga."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.