Clube dos 13 prepara boicote ao passe

Se os jogadores profissionais estão comemorando a nova Lei do Passe, devem frear um pouco o entusiasmo. É que os dirigentes estão se unindo para dar um golpe na lei e promover um boicote aos novos "libertados". Esta foi uma questão bastante discutida pelos membros do Clube dos 13, reunidos, nesta segunda-feira à tarde, no estádio Brinco de Ouro, em Campinas. "Não há motivos para isso", desmentiu veementemente o presidente da entidade, o gaúcho Fábio Koff, ex-presidente do Grêmio.Apesar do desmentido, os dirigentes estudam mecanismos que resguardem seus direitos diante da nova legislação. E acreditam que este pacto pode ter um efeito positivo, servindo para diminuir as dezenas de ações que se acumulam em fóruns trabalhistas de todo o País. O tema polêmico, porém, não foi discutido abertamente pelos dirigentes, que ficaram trancados durante mais de três horas no salão social do Guarani. Os dirigentes também estudam novas parcerias comerciais, uma delas proposta por um grupo inglês que estaria disposto a garantir os direitos de transmissão dos jogos na televisão.Eurico - O Clube dos 13 que era composto por 20 filiados, agora só tem 19 clubes. Ainda pela manhã, o presidente do Vasco da Gama, Eurico Miranda, entregou oficialmente um documento pedindo o desligamento do campeão brasileiro da entidade. Tanto que, à tarde, Zezé Perrela, presidente do Cruzeiro-MG, foi eleito por aclamação o novo segundo-vice-presidente. A reunião ordinária do Clube dos 13 foi realizada em Campinas em homenagem ao aniversário de fundação do Guarani, que completou nesta segunda-feira, 90 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.