Divulgação
Divulgação

Clube é punido por insultos racistas de torcedores a Hulk

Torpedo Moscou jogará com portões fechados durante 2 partidas

Estadão Conteúdo

18 Março 2015 | 12h36

O Torpedo Moscou terá que jogar duas partidas como mandante com os portões fechados depois que seus torcedores insultaram com gestos racistas o atacante Hulk, do Zenit. O brasileiro foi insultado com gritos de macaco no último domingo, durante o empate por 1 a 1 entre Zenit e Torpedo.

A comissão disciplinar da União Russa de Futebol determinou que Hulk foi vítima dos insultos por "sua etnia e cor de pele", e puniu o Torpedo pela terceira ocasião nesta temporada por atos racistas. Nas outras oportunidades, porém, o clube foi punido apenas com o fechamento de setores do seu estádio.

O castigo provavelmente será aplicada em duas partidas do próximo mês do Campeonato Russo, contra Terek Grozny e CSKA Moscou, o atual campeão nacional. Além disso, o clube foi multado em 300 mil rublos (aproximadamente R$ 16 mil).

O técnico do Zenit, André Villas-Boas, disse que o incidente de domingo foi um "desastre" para o Campeonato Russo, e prejudicaria a imagem do país-sede da Copa do Mundo de 2018. "Os insultos racistas contra Hulk passam ao redor do mundo, e esta é a imagem do Campeonato Russo", afirmou.

Já Hulk disse que estava triste com o incidente. "É impossível compreender, aceitar ou explicar coisas como esta", comentou. "Não é a primeira vez que eu passei por esse tipos de incidente, mas em todos os momentos, eu tenho que pedir para que os jogadores sejam respeitados", completou.

Esta foi a segunda ocasião nesta temporada que Hulk foi vítima de insultos racistas na Rússia. Em setembro, os torcedores do Spartak Moscou foram proibidos de comparecerem a uma partida como visitante por imitarem sons de macaco contra o brasileiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.