Clubes alemães amargam fracasso

O orgulho dos alemães está ferido. Os vice-campeões do mundo amargam fracasso raro. Desde a temporada de 56-57 não ficavam sem representante nas quartas-de-final dos grandes torneios continentais de clubes. Desta vez, acompanharão à distância os momentos decisivos tanto na Liga dos Campeões como na Copa da Uefa.O primeiro sintoma de fiasco foi a eliminação do Bayern de Munique ainda na fase inicial da Liga dos Campeões. Vencedor do campeonato em quatro ocasiões, o clube mais poderoso da Alemanha ficou em último lugar no seu grupo e não teve nem o consolo de ir para a repescagem na Copa da Uefa. O Bayer Leverkusen e o Borussia Dortmund superaram a primeira eliminatória da Liga dos Campeões, mas decepcionaram em seguida. O Bayer fechou a atual série com seis derrotas consecutivas e o Borussia quase teve destino melhor, chegou a bater o Milan por 1 a 0, em Milão, mas foi superado pelo Real Madrid. ?Não acho que estivemos aquém do esperado?, ponderou Mathias Sammer, técnico do Borussia. ?No entanto, cometemos muitos erros, que nos custaram a vaga.? O principal deles foi ceder empate (1 a 1) para o Real Madrid aos 47 do segundo tempo, em casa.A queda de desempenho se deve também a redução de investimentos dos clubes. Os ?grandes? perderam parte da renda que obtinham da televisão e não optaram por contratações caras. O Bayern apostava também na qualidade de seu elenco, contentou-se com a política de ?pés no chão? e se deu mal. Um declínio muito rápido, já que no ano passado o Borussia chegou à final da Copa da Uefa (perdeu para o Feyenoord) e o Leverkusen decidiu a Liga dos Campeões (com vitória do Real Madrid.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.