Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Twitter / Corinthians
Twitter / Corinthians

Clubes brasileiros se manifestam contra a ditadura em dia que marca aniversário do golpe de 1964

Times como Corinthians, Flamengo, Fluminense, Vasco, Inter e Atlético-MG reiteram pedido por 'democracia sempre' em data simbólica

Redação, O Estado de S.Paulo

31 de março de 2021 | 23h08

Alguns dos principais clubes do futebol brasileiro se manifestaram contra a ditadura militar que esteve em vigor no País entre 1964 e 1985 neste dia 31 de março. A data marca os 57 anos do golpe que depôs o presidente João Goulart e iniciou o período de repressão e ausência de liberdades. Clubes como Corinthians, Flamengo, Fluminense, Vasco, Internacional, Atlético-MG, Bahia e Fortaleza, entre outros, repudiaram a ditadura.

O número de clubes se manifestando representa um aumento em relação aos últimos anos - em 2019, por exemplo, apenas Corinthians, Vasco e Bahia relembraram a data e defenderam a democracia. Contudo, ainda há vários dos grandes clubes que não se manifestam.

Tal atitude contrasta com a dos clubes da vizinha Argentina: todos os principais clubes repudiam a ditadura no dia 25 de março, que marca o golpe que instalou a última ditadura no país, em 1973. Alguns times argentinos, como Boca Juniors, River Plate e Gimnasia La Plata instalaram comissões para encontrar histórias de atletas, associados e outras pessoas ligadas ao clube que foram vítimas da repressão.

O Corinthians relembrou as manifestações de seus atletas pela democracia nos anos finais do regime militar, em movimento que ficou conhecido como democracia corintiana. O Atlético-MG relembrou as manifestações de seu ídolo Reinaldo, enquanto o Vasco trouxe uma música de seu célebre torcedor Aldir Blanc, cantor e compositor. Outros clubes acharam maneiras diferentes de se manifestar, confira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.