Clubes chilenos discutem fazer campeonato nacional de fevereiro a dezembro

O futebol chileno está discutindo reformular seu calendário para abolir a divisão do campeonato nacional em dois torneios de turno único, o Apertura (no segundo semestre de um ano) e o Clausura (no primeiro semestre do ano seguinte). A ideia é seguir o exemplo do Campeonato Brasileiro e realizar uma competição em turno e returno.

Estadão Conteúdo

13 de abril de 2016 | 15h13

A Federação Chilena de Futebol (ANFP, na sigla em espanhol) apresentou a proposta nesta quarta-feira a 31 dos 32 clubes da primeira e da segunda divisão nacionais. A ideia é que o campeonato comece em fevereiro e termine em dezembro, com 30 datas, uma vez que continuarão a ser 16 times na primeira divisão.

Pela proposta, a temporada começaria em fevereiro com a disputa da Superliga do Chile e terminaria em dezembro com a final da Copa do Chile. A ideia é que o Chile passe a ter um "campeão chileno" por ano. Desde 2002 o calendário é dividido em "Apertura" e Clausura", sendo que em 2010 houve um campeonato único, abortado no ano seguinte.

A Argentina já tomou caminho parecido em 2014, quando realizou seu primeiro campeonato anual. Neste primeiro semestre de 2016 os argentinos estão jogando um "torneio de transição" para que, a partir de agosto, o calendário do Campeonato Argentino passe a ser semelhante ao das grandes ligas europeias.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCampeonato Chileno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.