Remy de la Mauviniere/AP
Remy de la Mauviniere/AP

Clubes da França marcam paralisação contra imposto

Equipes se unem contra plano do governo de cobrar 75% sobre quem ganha mais de 1 milhão de euros

AE-AP, Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 10h53

PARIS - O plano do governo francês de cobrar um imposto elevado sobre os grandes salários no país, incluindo os dos jogadores, causou reação imediata dos clubes. Nesta quinta-feira, as equipes de futebol da França aprovaram por unanimidade a proposta de não disputar partidas por um fim de semana, entre o final de novembro e o início de dezembro.

Os clubes profissionais da França realizaram uma assembleia geral extraordinária nesta quinta e decidiram realizar essa paralisação como forma de protesto diante do plano do governo de implementar um imposto de 75% sobre aqueles que ganham mais de 1 milhão de euros (aproximadamente R$ 3 milhões) por ano. Assim, os clubes decidiram que não haverá jogos entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro, para quando estava prevista a realização da 15.ª rodada do Campeonato Francês, como explicou Jean-Pierre Louvel, presidente da União dos Clubes de Futebol Profissional. "Não haverá jogos. As pessoas serão bem-vindos em nossos estádios, mas não haverá jogos", disse.

A nova taxa foi aprovada pelos deputados franceses, mas ainda precisa do aval dos senadores para entrar em vigor em 2014, o que afetaria vários clubes do país, especialmente Paris Saint-Germain e Monaco, que atraíram grandes nomes do futebol mundial com a oferta de grandes salários. Na próxima semana, o presidente da França, François Hollande, vai se reunir com dirigentes do futebol do país para discutir o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
futinterfutebolFrançaimpostos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.