Alex Silva/ Estadão
Alex Silva/ Estadão

Clubes disponibilizam suas estruturas para ajudar vítimas do coronavírus

São Paulo, Santos e Corinthians estão entre as equipes que se ofereceram para colaborar com órgãos de saúde

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

19 de março de 2020 | 20h43

Clubes do futebol brasileiro colocaram suas estruturas à disposição das autoridades para ajudar as vítimas do novo coronavírus. No Estado de São Paulo, Santos, São Paulo e Corinthians disponibilizaram seus centros de treinamentos, estádios e clubes sociais. O Bahia ofereceu o Fazendão, seu antigo CT, e o governador Rui Costa (PT) já afirmou que vai transferir para lá os pacientes que não precisam de tratamentos complexos. O Athletico-PR colocou a Arena da Baixada e o CT do Caju à disposição dos órgãos de saúde do Paraná.

Por causa da pandemia, competições e treinos estão paralisados. Consequentemente, os atletas foram dispensados das atividades nos CTs e receberam orientações do departamento médico dos clubes de como agir na prevenção ao novo coronavírus. Até agora, não houve algum jogador de futebol com caso detectado.

O movimento dos clubes brasileiros é mais uma mostra da solidariedade que o esporte em geral vem tendo durante a pandemia. Para o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, é importante os times se mobilizarem no combate ao coronavírus.

"O futebol está conseguindo aos poucos mudar a postura social, ser mais de vanguarda. Não é só dentro das quatro linhas, temos poder de comunicação muito grande. Quando podemos usar a comunicação, já ajudamos. E agora, oferecendo as estruturas, melhor ainda", disse Bellintani, em contato com o Estado, lembrando das ações que os times têm feito pela internet para conscientizar as pessoas.

Bellintani acredita que a comoção causada pela pandemia pode mudar a forma de os clubes agirem em outras questões sociais. O Bahia é o time brasileiro que mais tem se destacado em ações afirmativas, como contra o racismo, a favor dos direitos LGBTQ, sobre o tratamento das mulheres em estádios, entre outras. "Eu acho que pode, mas é um processo gradativo, não tenho a ilusão de que vai ser grande mudança de forma rápida. Um momento como esse ajuda. A sociedade está cada vez mais egoísta, mas estamos vendo que a solidariedade ainda tem muito espaço", disse.

O primeiro clube a anunciar que havia colocado sua estrutura à disposição das autoridades foi o Athletico-PR. Em nota, o time lembra que a China teve de construir hospitais às pressas para abrigar as vítimas do coronavírus e que a Itália vem sofrendo com a falta de leitos para internamento. O Athletico-PR diz que está "cumprindo com sua responsabilidade social e reforçando o compromisso que sempre estivemos parceiros dos poderes públicos e do povo do Paraná".

O São Paulo divulgou a carta assinada pelo presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, endereçada ao secretário estadual da saúde José Henrique Germann Ferreira. "Na certeza de que todos os esforços em conjunto serão mais eficazes, colocamo-nos à inteira disposição", diz trecho da carta. 

O Corinthians, por sua vez, informou que "face ao necessário enfrentamento da epidemia de coronavírus no Brasil, e fiel à sua tradição de solidariedade e responsabilidade social,está disponibilizando todos os seus equipamentos para que as autoridades avaliem de que forma poderão ser utilizados no combate ao avanço da doença e na assistência à população em geral."

O Santos disponibilizou todas as suas dependências para que sejam utilizadas pela Secretaria de Saúde do município. Dentre outras instalações, o clube coloca o Salão de Mármore como possibilidade de montagem de hospital provisório.

O Botafogo-SP tomou a decisão em Ribeirão Preto sobre ceder  o estádio Santa Cruz e a Arena Eurobike. "Já conversamos com a prefeitura e colocamos nossas instalações à disposição. O clube, ciente de sua responsabilidade social, se solidariza neste momento difícil que o nosso país atravessa", disse o presidente da Botafogo Futebol S/A, Gerson Engracia Garcia. Em Brasília, o estádio Mané Garrincha fará o mesmo.

NO EXTERIOR

O Chelsea, da Inglaterra, colocou seu hotel em Stamford Bridge para abrigar os funcionários de saúde que estão atuando no combate ao coronavírus. O clube vai bancar todas as despesas do alojamento. "Muitos profissionais trabalham em turnos longos e podem não ser capazes de viajar para casa ou, caso contrário, teriam que fazer longas viagens. Este alojamento ajuda a manter a saúde e o bem-estar dessas pessoas cruciais neste momento crítico", afirma o Chelsea em nota.

No Peru, a Vila Panamericana e Parapanamericana será disponibilizada para receber pacientes com coronavírus. A cidade de Lima recebeu os Jogos no meio do ano passado, e o local conta com 456 dormitórios.

Na Espanha, o tenista Rafael Nadal abriga em sua academia, em Mallorca, crianças que frequentam o local. Isso porque os garotos que utilizam o espaço são provenientes de 42 países fora da Espanha. Funcionários da academia se apresentaram de forma voluntária para ficar com as crianças.

LISTA DOS LOCAIS COLOCADOS À DISPOSIÇÃO

CORINTHIANS: Todas as instalações

SÃO PAULO: Todas as instalações

SANTOS: Todas as instalações, sendo o Salão de Mármore como possibilidade de montagem de hospital provisório

ATHLETICO-PR: Arena da Baixada e o CT do Caju

BAHIA: CT Fazendão

CHELSEA: Hotel em Stamford Bridge para abrigar os funcionários de saúde

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.