Clubes do interior acusam o São Paulo

O São Paulo está sendo acusado por clubes do interior do Estado de estar tentando roubar jogadores de suas categorias de base. Após a Portuguesa ter feito a primeira denúncia, Rio Branco e União Barbarense também se manifestaram publicamente.Nesta quinta-feira, os dirigentes do clube de Santa Bárbara confirmaram que empresários ligados ao São Paulo estão assediando seus atletas e que, inclusive, já levaram um deles: o júnior Diego, de 17 anos. "Assim é muito fácil manter a base. Nós cuidamos do jogador durante quatro, cinco anos e depois eles vêm e roubam o jogador daqui", acusou o presidente do União Barbarense, Roberto Morbach.Armindo Borelli, presidente de futebol do Rio Branco, está assustado com estas atitudes da diretoria do São Paulo e espera algumas providências imediatas do presidente do clube do Morumbi, Marcelo Portugal Gouvêa. "A diretoria do Rio Branco está chocada e cobramos uma ação imediata do presidente do São Paulo?, disse o dirigente.O Rio Branco, divulgou na quarta-feira uma carta para a imprensa denunciando este tipo de ação do São Paulo. Segundo o clube de Americana, três jogadores da categoria infantil (Adilson dos Santos Souza, Douglas Alexandre Rosa e Diego Macedo Prado dos Santos) foram levados para o CT da Barra Funda, do São Paulo.O Guarani, outro clube tradicional na revelação de jogadores, também sofreu assédio dos intermediários do São Paulo. Eles tentaram levar o meia Éverton, do time juvenil. "O jogador não foi porque o Guarani é um clube organizado, que cuida bem de seus jogadores, paga em dia e dá retaguarda para estudos e formação", garantiu José Donizete, técnico do juvenil.José Donizete levanta outro problema que assola as divisões de base: os jogadores com documentação irregular, os ?gatos?. O Guarani, por exemplo, acaba de perder o título juvenil para o Corinthians, mas o técnico do time de Campinas diz que ter visto muito ?gato? em campo: "Eles (Corinthians) tinham, pelo menos, seis jogadores com idade de juniores. É um absurdo".Além das duas equipes do interior, a Portuguesa revela ter sofrido com as atitudes do São Paulo. Através de alguns empresários, o São Paulo, indiretamente, está brigando na Justiça pela obtenção do passe do zagueiro Davi, de apenas 17 anos, que estava nos juniores da Lusa.Em todos os casos, pessoas ligadas ao São Paulo entram em contato com o jogador, o convencem a ir para o time do Morumbi e depois, tentam na Justiça, obter os direitos federativos do atleta, através de ações no nome dos familiares. Nunca em nome do clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.