Clubes europeus endurecem com a CBF

Os principais clubes europeus avisam: não aceitarão liberar os jogadores brasileiros para as partidas na seleção nas eliminatórias antes do prazo determinado pela Fifa. Em entrevista à Agência Estado, dirigentes de times italianos e espanhóis lembram que os campeonatos na Europa estão em suas fases decisivas e que as equipes contam especialmente com os jogadores brasileiros para obter bons resultados. Nesta semana, a Fifa anunciou que os clubes poderão liberar seusjogadores ao Brasil apenas 48 horas antes das partida contra o Paraguai, dia 31 de março, já que a data estava reservada para amistosos, e não para jogos oficiais, o que exigiria uma liberação prévia de cinco dias. "Os campeonatos na Europa estão em plena evolução. Não será possível abrir mão dos jogadores brasileiros por mais tempo, nem agora e nem no futuro", afirmou Antonio Tempestilli, diretor do Roma, onde jogam Emerson e Mancini. Xavier Faus, diretor do Barcelona, de Ronaldinho Gaúcho, lembra que o time catalão tem uma "relação privilegiada com a seleção brasileira", masque mesmo assim seria difícil pensar em liberar seus jogadores por umtempo maior do que o determinado pela entidade máxima do futebol. "NoBarcelona, nossa política é a de respeitar as decisões da Fifa. O que aregra disser estaremos cumprindo. Mas também temos que lembrar que,nesta temporada, estamos lutando por uma vaga na Liga dos Campeões daEuropa e precisamos de todos nossos jogadores", afirmo Faus. Já outro dirigente de um grande clube espanhol, que pediu para não seidentificar, aponta que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deveentender a posição dos clubes europeus que, mesmo liberando osjogadores com dois dias de antecedência, continuam prejudicados."Nossos jogadores acabam se desgastando com viagens, o que pode afetar nosso desempenho nas fases finais dos campeonatos que disputamos",completou o cartola.

Agencia Estado,

04 de março de 2004 | 15h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.