Clubes europeus rejeitam negociar calendário com Fifa

A Associação de Clubes Europeus (ECA, na sigla em inglês) se recusou a participar de reuniões com a Fifa sobre a criação de um calendário de jogos internacionais. A Fifa convidou as partes interessadas no assunto a participarem de um encontro em 5 de março, em Zurique, para discutir quando as equipes devem liberar jogadores para as seleções entre 2015 e 2022.

AE, Agência Estado

24 de fevereiro de 2012 | 11h39

O grupos de 200 clubes europeus disse nesta sexta-feira que o presidente Karl-Heinz Rummenigge e o secretário-geral Michele Centenaro recusaram os convites. "É uma resposta para as discussões que tivemos com a Fifa durante as últimas semanas", disse o porta-voz Marc Schmidgall. "O conselho decidiu que, até mudança prévia, nenhum executivo da ECA vai participar das reuniões da Fifa".

A ECA considera que a Fifa marca muitas partidas seleções e não assegura os salários dos jogadores que se contundem nesses confrontos. Os clubes querem que o calendário tenha duas partidas seguidas das seleções disputadas seis vezes em uma período de dois anos de torneio classificatório, enquanto a Fifa e a Uefa preferem nove. Os times querem abolir as datas para amistosos em fevereiro e agosto. Os principais clubes europeus irão apresentar suas próprias propostas em uma reunião em 27 e 28 fevereiro em Varsóvia, na Polônia.

As relações problemáticas podem afetar a liberação de jogadores para o torneio de futebol dos Jogos Olímpicos de Londres, em julho. Esse campeonato não está protegido pelo calendário da Fifa e os clubes não são obrigados a liberar seus jogadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.