Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Clubes fazem reunião com a federação para resolver impasse no Campeonato Paulista

Equipes tentarão encontrar datas no calendário e novos locais enquanto partidas estiverem proibidas no Estado

Raphael Ramos, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2021 | 05h00

Nova reunião entre a Federação Paulista de Futebol (FPF) e os clubes, nesta segunda, às 10h, deve definir o futuro do Campeonato Paulista. O encontro emergencial foi marcado após a prorrogação do período de proibição de jogos no território estadual até o dia 11 de abril. Antes, a suspensão das partidas do torneio terminaria em 30 de março.

A federação conta com o apoio da CBF para encontrar locais que possam receber os confrontos do Estadual. O presidente da entidade nacional, Rogério Caboclo, defende que os jogos de futebol não devem ser paralisados, mesmo com o avanço da pandemia do novo coronavírus no País, com mais de 300 mil mortes. Para o dirigente, os mandos de campo têm de ser remanejados para Estados onde as atividades esportivas coletivas ainda estão liberadas.

As negociações da FPF na tentativa de convencer o governo de São Paulo e o Ministério Público a voltarem atrás e permitir a continuidade do futebol já foram encerradas. A gestão do governador João Doria (PSDB), inclusive, já reclamou publicamente de sofrer “pressão enorme” para liberar o futebol no Estado.

Como quase 50 partidas do Paulistão foram afetadas pela paralisação, a tendência é de que na reunião de hoje seja definido que o Estadual não terminará mais na data prevista inicialmente, 23 de maio. No ano passado, também por causa da covid-19, a final do campeonato foi disputada apenas em agosto.

Mesmo diante da dificuldade de transferir as partidas do Paulistão para outras praças, está descartado neste momento o encerramento precoce do torneio, a exemplo do que ocorreu semana passada com o Campeonato Potiguar, o primeiro Estadual do País cancelado em 2021 por causa da pandemia. Os clubes querem manter o Paulistão para garantir as cotas dos direitos de transmissão.

DIFICULDADES

Até agora, a federação conseguiu que apenas duas partidas do Estadual fossem disputadas em meio à suspensão de jogos em São Paulo: o Corinthians enfrentou o Mirassol em Volta Redonda, no interior do Rio, cidade que também recebeu o confronto entre Palmeiras e São Bento.

Para conseguir levar as duas partidas para o município fluminense, a federação fez a doação de dez monitores e dez ventiladores pulmonares para montar dez leitos de UTI na rede pública da cidade no atendimento a pacientes com covid-19.

O jogo entre Ponte Preta e Santos, que seria disputado na última quinta-feira, no estádio de São Januário, no Rio, precisou ser suspenso na véspera diante de medidas de restrição impostas pela prefeitura do Rio. O mesmo já havia ocorrido com o jogo do Palmeiras contra o São Bento, antes marcado para Belo Horizonte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.