RODOLFO BUHRER /ESTADÃO
RODOLFO BUHRER /ESTADÃO

Clubes fazem reunião e definem exigências para assinatura da criação da Libra

Nota compartilhada por 12 times pede equilíbrio na divisão de receitas e adoção de critérios objetivos; reunião na CBF na próxima semana pode selar acordo

Marcos Antomil, especial para o Estadão

06 de maio de 2022 | 23h36

Clubes das Séries A e B do Campeonato Brasileiro se reuniram nesta sexta-feira para traçar exigências para a assinatura da criação da Liga Brasileira de futebol, batizada como Libra. A contraproposta gira em torno de premissas acerca de uma divisão mais equilibrada das receitas, baseada em critérios objetivos.

Originalmente, Palmeiras, Corinthians, Flamengo, São Paulo, Santos, Red Bull Bragantino, Cruzeiro e Ponte Preta assinaram um estatuto que prevê divisão igualitária de 40% das receitas, 30% por desempenho e 30% por critérios de audiência, que incluem assinaturas de pay per view e interação em redes sociais, tópicos identificados pelo grupo 'Forte Futebol' como de difícil aferição.

"Entre os assuntos debatidos, o mais relevante foi a divisão de receitas de forma que contribua de fato para o aprimoramento da competição, tornando menos desiguais as condições de competitividade atuais. Os termos aceitos em São Paulo por outros 6 clubes perpetuam o abismo que existe hoje, ao manterem a parte igualitária das receitas em 40%, enquanto nos campeonatos mais bem sucedidos este percentual pode chegar a 68% somando todos os direitos domésticos, internacionais e de marketing, caso da Premier League, por exemplo. Não é aceitável que haja clubes ganhando 6 vezes mais do que outros, enquanto nas melhores Ligas do mundo essa diferença não ultrapassa 3,5 vezes", publicou o grupo nas redes sociais dos clubes, que reforçaram a necessidade de instituir critérios técnicos mais confiáveis para determinar a divisão das receitas oriundas da audiência.

"Outro ponto a ser aprimorado é a adoção de premissas que não privilegiem pilares de difícil aferição, em especial ao que tange a engajamento. Tais critérios, na visão da maioria dos clubes que participaram da reunião, apenas perpetuam a posição de superioridade de alguns sobre outros, não dando a oportunidade de maior equilíbrio dos campeonatos", escreveram.

No próximo dia 12 de maio, todos os clubes das Séries A e B voltarão a se encontrar na sede da CBF, no Rio de Janeiro, para concretizar a criação da Libra. Até agora, somente oito clubes assinaram o documento. Os 12 clubes que assinam a nota prometem insistir em um repartição de receitas mais igualitária e instituir um limite de diferença entre quem ganha mais e quem ganha menos.

Uma parte desses clubes entende que uma divisão igualitária de 50% das receitas seria o ideal para não permitir que haja distâncias abissais entre os times. Publicaram a nota conjunta em suas redes sociais: Cuiabá, Avaí, Fluminense, Ceará, Athletico-PR, Atlético-GO, Fortaleza (Série A), Náutico, Brusque, Vila Nova, Sampaio Corrêa e Operário de Ponta Grossa (Série B).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.