Werther Santana/ Estadão
Werther Santana/ Estadão

Clubes fazem tudo para escapar da degola no Brasileirão

Ponte reduz preço dos ingressos, Avaí cria campanha com Gustavo Kuerten e torcida do Sport usa sal grosso

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

24 Novembro 2017 | 07h00

Os clubes ameaçados pelo rebaixamento estão utilizando vários artifícios para se salvar. O Avaí convocou seu torcedor mais famoso, o ex-tenista Gustavo Kuerten, para gravar vídeos motivacionais nas redes sociais. Os torcedores do Sport apelaram para o lado supersticioso. Boa parte dos 30 fãs que acompanham o time no Rio, para o jogo contra o Fluminense, está levando sal grosso na bagagem. A ideia é espantar o azar.

Ponte Preta faz reclamação formal na CBF contra árbitro após derrota para o Flu

Para lotar o Moisés Lucarelli no domingo, a Ponte Preta colocou o preço dos ingressos no menor valor permitido pela CBF e vai cobrar R$ 6 (a meia-entrada sai por R$ 3) por um lugar na arquibancada.

Se pudesse, a Ponte teria reduzido ainda mais os ingressos. A intenção do clube era cobrar R$ 2 e R$ 1 no jogo decisivo contra o Vitória. No entanto, o clube foi informado pela CBF de que o valor mínimo era de R$ 6. Mesmo assim, teve de pedir autorização para a entidade que controla o futebol nacional. O artigo 16 do regulamento do Campeonato Brasileiro diz: “O preço mínimo do ingresso será de R$ 40,00 (quarenta reais), com meia-entrada a R$ 20,00 (vinte reais)”.

Se os clubes descumprirem o regulamento, podem ser multados pelo STJD. A Ponte espera contar com o apoio de cerca de 13 mil pagantes, quebrando o recorde do ano, para vencer o Vitória, em uma briga direta. O time de Campinas está em 17.º lugar, com 39 pontos, um a menos que o time baiano.

O Avaí decidiu ir além da redução do preço – um lugar na Ressacada, com a camisa do clube, sai por R$ 10, com exceção da área vip. O clube pediu o apoio de Guga, seu torcedor mais famoso. O tricampeão em Roland Garros é a estrela da campanha “Somar para ficar” em referência à permanência na Série A. O campeão está otimista. “Se somar nove pontos, a gente escapa”, disse, quando faltavam três rodadas para o fim da disputa.

Três pontos já foram obtidos – na segunda-feira, o time venceu o Palmeiras por 1 a 0. Agora, faltam Atlético-PR, em casa, e o Santos, na Vila, na última rodada. O time avaiano tem 39 pontos e está em penúltimo lugar. Seu adversário no domingo tem 48 e sonha com vaga na Libertadores. São aguardadas 17 mil pessoas na Ressacada.

Sal grosso. Os torcedores do Sport acreditam que o sal grosso, normalmente utilizado para afastar energias negativas, foi fundamental para o time encerrar na semana passada um jejum de quatro meses sem vitória na Ilha do Retiro ao derrotar o Bahia por 1 a 0. Agora, vão repetir a dose.

O grupo de torcedores que viajou rumo ao Maracanã ontem levou vários saquinhos nas malas. A ideia é jogar o sal no banco de reservas do time pernambucano, como foi feito na Ilha do Retiro, para proteger a equipe e facilitar um resultado positivo. “Fizemos uma festa bonita no aeroporto e estamos com o time. Vale todo tipo de crença”, diz Marcio Cleyson, da torcida Jovem do Sport.

O time pernambucano vai precisar de toda ajuda mística. Se for derrotado pelo Fluminense e o Vitória ganhar da Ponte Preta no dia seguinte, o Sport estará rebaixado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.