Clubes paulistas ainda dão as cartas

São Paulo tem se destacado dos outros Estados nos últimos anos tanto em competições nacionais como internacionais. Em 2003, a situação foi diferente. O bicho-papão Cruzeiro acabou abocanhando o Brasileiro e a Copa do Brasil, enquanto o Santos perdeu a decisão da Taça Libertadores para o Boca Juniors. Certamente é um ano para ser esquecido pelos paulistas, não é? Não exatamente. Em comparação a 2002, embora o Corinthians tenha conquistado a Copa do Brasil e o Santos, o Brasileiro, os times de São Paulo têm muito o que comemorar em 2003. Isso se forem computados acessos e rebaixamentos. No ano passado, por exemplo, cinco clubes paulistas amargaram o descenso - Palmeiras e Portuguesa na Série A do Brasileiro e Botafogo, XV de Piracicaba e Bragantino na Série B. Em contrapartida, apenas o Marília conquistou o acesso - da Série C para a B. O que resulta em um saldo negativo de -4. Em 2003 a situação foi totalmente inversa. Até agora somente uma equipe do Estado foi rebaixada: o União São João caiu para a Série C. Caso a Ponte Preta caia no domingo para a Série B, esse número aumentaria para dois. Em compensação, três equipes já garantiram o acesso: Palmeiras para a Série A e Ituano e Santo André para a Série C. Na ponta de cima na Série A há ainda de se comemorar as inclusões de Santos e São Paulo na próxima Taça Libertadores, com o grupo podendo ser fortalecido pela classificação do São Caetano, que só depende de uma vitória diante do Internacional-RS em casa na última rodada. Um exemplo de que o Estado de São Paulo continua sendo a principal força do país está nos números. Em 2004 serão 13 clubes paulistas nas Séries A e B, 27% do total de 48 equipes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.