Clubes querem o fim da torcida única nos clássicos das semifinais do Paulistão

Clubes querem o fim da torcida única nos clássicos das semifinais do Paulistão

Corinthians, Palmeiras e São Paulo pretendem se reunir com representantes da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para formalizar pedido

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2017 | 13h38

Os clubes paulistas pretendem se reunir com representantes da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo ainda nesta terça-feira para rever a adoção da torcida única nas finais do Campeonato Paulista. A iniciativa é dos dois clubes que se enfrentam nas semifinais - São Paulo e Corinthians - que sentiram prejudicados com a torcida mista na outra série, entre Palmeiras e Ponte Preta.

"A questão da torcida única é injusta. É ruim para o futebol. A gente vai solicitar. Não é só por conta do Palmeiras. Esse castigo foi dado aos clubes da capital. Vamos fazer uma solicitação e vamos ver se seremos atendidos", afirmou o presidente Roberto de Andrade, do Corinthians, após o conselho técnico das semifinais nesta terça-feira.

O dirigente afirma que o ideal seria voltar à divisão meio a meio, com 50% dos ingressos para cada clube, mas reconhece que a liberação 10% da carga de ingressos para o visitante seria suficiente. "Não se trata de ofício, nada, queremos apenas uma conversa", disse Roberto de Andrade.

A iniciativa tem o apoio do São Paulo e do Palmeiras. "É uma decisão pelos órgãos de segurança de São Paulo. É uma tarefa inglória imaginar que isso mude, mas seria bom que acontecesse", afirmou o presidente do São Paulo, Carlos Augusto Barros e Silva, o Leco. "Clássico com duas torcidas engrandece o futebol. O Palmeiras apoia a decisão".

Fontes ligadas à Federação Paulista de Futebol acreditam que seja difícil a adoção da torcida mista para os jogos das semifinais por envolver vários órgãos, como Ministério Público e Secretaria de Segurança Pública.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.