Felipe Oliveira/Bahia
Felipe Oliveira/Bahia

Clubes do Brasil repartem verbas de direitos de transmissão internacional de forma igualitária

Equipes das Série A e B do Brasileirão fazem reunião nesta terça-feira para analisar seis propostas de comercialização do torneio

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de abril de 2020 | 12h05

Representantes de clubes das Séries A e B se encontram nesta terça-feira para concretizar a venda dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro para o exterior. Ao que tudo indica, a empresa que dentro de sua proposta oferecer um adiantamento de verba será a escolhida. A preferência é dada devido ao congelamento de receitas ocasionados pela paralisação do futebol brasileiro em razão do novo coronavírus. Ao todo, serão analisadas seis propostas.

"A gente tem propostas consistentes, que têm sido acompanhadas por uma comissão técnica que está avaliando os projetos. Eu acredito que a gente tenha nos próximos dias uma resolução desse processo", afirmou Guilherme Bellintani, presidente do Bahia,  ao portal Máquina do Esporte. O dirigente também atua como um dos líderes da comissão de clubes para a análise de propostas.

Segundo a publicação, além dos direitos internacionais de transmissão, os direitos de retransmissão para casas de aposta também serão negociados. A inclusão desse item em 2019 fez com que a empresa SportPromotion, interessada no projeto, deixasse de participar das negociações.

A reunião terá como pauta a venda dos direitos de transmissão das Séries A e B do Campeonato Brasileiro e a data de pagamento aos clubes. De acordo com Bellitani, as equipes aceitaram, numa decisão sem precedentes, repartir de forma igualitária o dinheiro oriundo da negociação. "Em cada uma das séries já há a conclusão de que haverá uma divisão linear do dinheiro entre todos os clubes. Não é uma quantia significativa nesse primeiro momento, mas é um passo importante para a projeção do futebol brasileiro lá fora", explicou.

Dentre as empresas que enviaram propostas à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estão: TV NSports, em parceria com a Stats Perform, as agências IMG, Pitch International e Lagardère, além da Sports Radar, que atua no ramo de estatística. Nem todas as propostas incluem o adiantamento de verba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.